Primeiro livro de Enoque - Capitulo 13

Enoque sentencia as Sentinelas rebeldes

1

Então Enoque, passando ali, disse a Azaziel: Tu não obterás paz. Uma grande sentença há contra ti. Ele te amarrará;

2

Socorro, misericórdia e súplica não estarão contigo por causa da opressão que tens ensinado;

3

E por causa de todo ato de blasfêmia, tirania e pecado que tens descoberto aos filhos dos homens.

4

Então partindo dele, falei a eles todos juntos;

5

E eles todos ficaram apavorados, e tremeram;

6

Abençoando-me por escrever por eles um memorial de súplica, para que eles pudessem obter perdão; e que eu fizesse um memorial de suas orações ascendendo diante do Deus do céu; porque eles, por si mesmos, desde então não podiam dirigir-se a Ele, nem levantar seus olhos aos céus por causa da infame ofensa com a qual eles foram julgados.

7

Então eu escrevi um memorial de suas orações e súplicas, por seus espíritos, por tudo o que eles haviam feito, e pelo assunto de sua solicitação, para que eles obtivessem remissão e descanso.

8

Procedendo nisso, eu continuei sobre as águas de Danbadan*, as quais estão da direita para o oeste de Hérmon, lendo o memorial de suas orações, até que caí adormecido.

* Danbadan, hoje chamado Rio Dan é o maior afluente do rio Jordão. A sua fonte é situada na base do Monte Hérmon.

9

E eis que um sonho veio a mim, e visões apareceram acima de mim.

10

E caí e vi uma visão de castigos, para que eu pudesse relatá-la aos filhos dos céus, e reprová-los.

11

Quando eu acordei fui até eles.

12

Todos estavam reunidos chorando em Oubelseiael, que está situada entre o Libano e Seneser* , com suas faces escondidas.

* Libano e Seneser. Líbano e Senir (próximo a Damasco).

13

E relatei em sua presença todas as visões que eu havia visto, e meu sonho;

14

E comecei a pronunciar estas palavras de retidão, reprovando as Sentinelas do céu.