Primeiro livro de Enoque - Capitulo 22

Separação das almas após a morte: do justo e do ímpio

1

Dali eu me dirigi para outro lugar, onde vi a oeste uma grande e elevada montanha, uma forte rocha, e quatro cavernas deleitosas.

2

Internamente elas eram profundas, amplas, e muito polidas (lisas); três delas eram escuras e uma clara, tendo no centro dela uma fonte de água.

3

Então eu disse: "Como são lisas essas cavernas! Como são profundas e escuras!"

4

Então Rafael, um dos santos anjos que estava comigo, respondeu e disse:

5

Estes são os lugares deleitosos onde os espíritos, as almas dos mortos, serão reunidos; para eles ele foi formado e aqui serão reunidas todas as almas dos filhos dos homens.

6

Estes lugares, nos quais habitam, eles ocuparão até o dia do julgamento, e até seu período escolhido.

7

Seu período escolhido será longo, mesmo até o grande julgamento.

8

E vi os espíritos dos filhos dos homens que estão mortos; e suas vozes rompem o céu, enquanto eles são acusados.

9

Então inquiri de Rafael, o anjo que estava comigo, e disse: Que espírito é aquele, a voz do qual alcança o céu, e acusa?

10

Ele respondeu, dizendo: Este é o espírito de Abel o qual foi morto por Caim seu irmão; o qual acusará aquele irmão, até que sua semente seja destruída da face da terra;

11

Até que sua semente desapareça da semente da raça humana.

12

Naquele tempo, portanto eu inquiri a respeito dele, e a respeito do julgamento geral, dizendo: Por que um está separado do outro?

13

Ele respondeu: Três separações foram feitas entre os espíritos dos mortos, e assim os espíritos dos justos foram separados,

14

Especialmente, uma separação foi reservada para os espíritos dos justos, onde jorra uma fonte de águas límpidas, onde há luz acima dela.

15

E da mesma maneira os pecadores são separados quando morrem, e são sepultados na terra; julgamento não os surpreenderá em seu tempo de vida.

16

Aqui suas almas estão separadas.

17

Além disso, abundante é seu sofrimento até o tempo do grande julgamento, o castigo, e o tormento daqueles que eternamente abominaram a justiça, cujas almas são munidas e amarradas lá para sempre.

18

E assim tem sido desde o princípio do mundo.

19

Assim existe uma separação entre as almas daqueles que proferem reclamações, e daqueles que vigiam pela sua destruição, para sua matança no dia dos pecadores.

20

Uma separação deste tipo foi formada para as almas dos injustos, e dos pecadores; daqueles que cometeram crime, e se associaram aos ímpios, com os quais eles se assemelham.

21

Suas almas não serão aniquiladas naquele dia de julgamento, nem se levantarão deste lugar.

22

Então eu bendisse a Deus, e falei: Abençoado seja o meu Senhor, o Senhor da glória e da retidão, cujo reino será para sempre e sempre.