Primeiro livro de Enoque - Capitulo 32

1

Depois destas coisas, inspecionando as entradas do norte acima das montanhas, vi montanhas e percebi sete montanhas repletas de puro nardo*, árvores perfumadas e papiro.

* Nardo: Uma espécie de planta, da qual se extrai um óleo perfumado.

2

Dali eu passei acima dos picos daquelas montanhas a alguma distância para o leste, e fui sobre o mar da Eritréia*.

* Mar da Eritreia: O Mar Vermelho.

3

E quando eu havia avançado para longe, além dele, passei ao longo, acima do anjo Zotiel, e cheguei ao jardim da justiça.

4

Neste jardim eu vi outras árvores, as quais eram numerosas e grandes, e floresciam ali.

5

Sua fragrância era agradável e poderosa e sua aparência era tanto agradável quanto elegante.

6

A árvore do conhecimento também estava ali, do qual se alguém comesse, tornava-se dotado de grande sabedoria.

7

Essa árvore, pelo seus ramos, assemelha-se ao pinheiro; sua folhagem é parecida com a da alfarrobeira*; o seu fruto é como os cachos da videira; e o seu perfume é percebido a grande distância.

* alfarrobeira, também conhecida como Pão-de-São-João, figueira-de-pitágoras e figueira-do-egito, é uma árvore de folha perene, originária da região mediterrânica que atinge cerca de 10 a 20 m de altura, cujo fruto é a alfarroba.

8

Então eu exclamei: "Como é bela esta árvore e como é agradável o seu aspecto!"

9

Então o santo Rafael, um anjo que estava comigo, respondeu e disse:

10

Esta é a árvore do conhecimento, da qual vosso antigo pai e vossa mãe comeram, os quais foram antes de ti e que obtendo conhecimento, seus olhos sendo abertos, e descobrindo que estavam nus, foram expulsos do jardim.