Primeiro livro de Enoque - Capitulo 90

Terceiro Período – dominação de Alexandre, o Grande à greco-sírio

1

Eu vi como dessa forma pastorearam trinta e cinco pastores, e cada um cumpriu o seu tempo, como seus antecessores; depois outros acolheram, para pastoreá-las a seu tempo, cada pastor no seu período.

2

Então na visão eu vi chegarem todas as aves do céu, águias, gaviões, milhafres e abutres; as águias, que comandavam todos os demais pássaros,

3

E começaram a comer ovelhas, arrancando seus olhos e devorando suas carnes.

4

A ovelha então clamou; pois suas carnes foram devorados pelos pássaros.

5

Eu também clamei, e gemi em meu sono contra os pastores que cuidavam do rebanho.

6

E olhei, enquanto as ovelhas eram comidas pelos cães, pelas águias e pelos corvos.

7

Eles não deixaram seus corpos, nem sua pele, nem seus músculos, e somente seus ossos restaram; até seus ossos caíram sobre o chão.

8

E a ovelha ficou diminuída.

9

Eu também observei durante o tempo, que vinte e três pastores* estavam cuidando, os quais completaram seus respectivos períodos, cinquenta e oito períodos.

* Os reis da Babilônia, etc., durante e depois do cativeiro.

10

Quarto Período - da dominação greco-sírio à revolta dos Macabeus

Então pequenos cordeiros nasceram daquela ovelha branca; que começaram a abrir seus olhos e a ver, chorando pela ovelha.

11

A ovelha, porém, não clamou a eles, nem ouviu o que eles lhe diziam, mas ficou muda, cega e obstinada em maior intensidade.

12

Eu vi na visão que corvos voaram sobre aqueles cordeiros;

13

Que eles agarraram-nos; e que seguraram um deles, e rasgaram a ovelha em pedaços, e os devoraram.

14

Eu vi também, que chifres cresceram nos cordeiros; e que os corvos voavam sobre seus chifres.

15

Eu vi, também, que um grande chifre brotou num animal entre as ovelhas, e que seus olhos estavam abertos.

16

Ele olhou para elas. Seus olhos estavam bem abertos; e ele clamava para elas.

17

Então o carneiro* viu-o; todos eles correram para ele.

* Provavelmente simbolizando Alexandre o Grande.

18

E enquanto isso, todas as águias, os corvos e os gaviões estavam ainda levando a ovelha, voando sobre ela, e devorando-a.

19

A ovelha ficou em silêncio, mas o carneiro lamentou e chorou.

20

Então os corvos contenderam, e lutaram com ela.

21

Eles desejaram entre eles quebrar seu chifre; mas eles não prevaleceram contra ele.

22

O último assalto dos gentios sobre os judeus

Eu olhei para eles, até os pastores, as águias, os corvos, e os gaviões vieram.

23

Os quais clamaram aos corvos para quebrar o chifre do carneiro; para contender com ele; e para matá-lo.

24

Mas ele lutou com eles, e clamou, para que ajuda pudesse vir a ele.

25

Então eu percebi que o homem veio o que escreveu os nomes dos pastores, o qual subiu diante do Senhor das ovelhas.

26

Ele trouxe assistentes, e fez com que cada um o visse descendo para ajudar o carneiro.

27

Eu percebi também que o Senhor das ovelhas veio a elas com ira, enquanto todos aqueles que viram-no fugiram; todos caíram em seu tabernáculo diante de sua face; enquanto todas as águias, os corvos, e gaviões se reuniram e trouxeram com eles todas as ovelhas do campo.

28

Todos vieram juntos, e impediram de quebrar o chifre do carneiro.

29

E eu vi como aquele homem que escreveu o livro por ordem do Senhor abriu o livro sobre o extermínio que aqueles últimos doze pastores* perpetraram e mostrou ao Senhor das ovelhas que eles haviam matado muito mais do que os seus antecessores.

* Os príncipes nativos de Judá depois de sua libertação do cativeiro sírio.

30

Eu vi também que o Senhor das ovelhas veio a elas, e tomando em sua mão o cetro de sua ira preso na terra, que se dividiu ao meio; enquanto todos os animais e pássaros do céu caíram sobre as ovelhas, e afundaram na terra, que fechou-se sobre eles.

31

Eu vi, também, que uma grande espada foi dada às ovelhas, que saíram contra todos os animais do campo para matá-los.

32

Mas todos os animais e pássaros do céu fugiram de diante da sua face.

33

Julgamento dos Anjos Caídos, os pastores e os apóstatas

E eu vi um trono erguido numa terra deleitável;

34

Sobre ele assentava-se o Senhor das ovelhas, o qual recebeu todos os livros selados;

35

Os quais foram abertos diante dele.

36

Então o Senhor chamou os primeiros sete de branco, e ordenou-os trazerem diante dele a primeira de todas as estrelas, a qual precedeu as estrelas que se assemelhavam parcialmente à forma de cavalos; a primeira estrela, que caiu primeiro; e eles trouxeram-na diante dele.

37

E ele falou ao homem que escreveu em sua presença, o qual era um dos sete de branco, dizendo:

38

Toma aqueles setenta pastores, aos quais eu entreguei as ovelhas, e os quais recebendo-as mataram mais delas do que eu ordenei.

39

Eis que, eu vi-os todos amarrados, em pé diante dele.

40

Primeiro veio no julgamento das estrelas, que sendo julgadas, e consideradas culpadas, foram para o lugar da punição.

41

Elas confiaram-nas a um lugar, profundo, e cheio de chamas de pilares de fogo.

42

Então os setenta pastores foram julgados, e considerados culpados, foram confiados às chamas do abismo.

43

Neste tempo igualmente eu vi, que o abismo estava assim aberto no meio da terra, que estava cheia de fogo.

44

E a ela foram trazidas as ovelhas cegas; as quais sendo julgadas, e consideradas culpadas, foram todas confiadas àquele abismo de fogo na terra, e queimaram.

45

O abismo ficava à direita daquela casa.

46

E eu vi as ovelhas queimando, e seus ossos sendo consumidos.

47

A Nova Jerusalém, a conversão dos gentios sobreviventes, a ressurreição dos justos, o Messias

Então ergui-me para ver a antiga casa sendo desmontada.

48

Foram recolhidas todas as colunas, juntamente com as vigas e os ornamentos; depois tudo isso foi levado embora e colocado em um lugar ao sul da terra.

49

Eu também vi, que o Senhor das ovelhas construiu uma nova casa, grande e mais elevada do que a anterior, a qual ele ligou com o antigo lugar circular.

50

Todos os seus pilares eram novos, e seu mármore novo, também mais abundante do que o antigo mármore, que ele havia trazido.

51

E enquanto todas as ovelhas que foram deixadas no meio dela, todos os animais da terra, e todas as aves do céu, prostraram-se e adoraram-no, implorando a ele, e obedecendo-o em tudo.

52

Então aqueles três, que estavam vestidos de branco, e os quais, segurando-me pela minha mão, tinham antes me feito subir, enquanto a mão daquele que falava comigo me segurava; e colocava-me no meio das ovelhas, antes que o julgamento acontecesse.

53

A ovelha era toda branca, com lã longa e pura. Então todas as que tinham perecido, e tinham sido destruídas, todo animal do campo, e toda ave do céu, reuniram-se naquela casa: enquanto o Senhor das ovelhas regozijou-se com grande alegria, porque todas estavam bem, e tinham voltado novamente para sua habitação.

54

E eu vi que elas abaixaram a espada que havia sido dada às ovelhas, e retornou à sua casa, selando-a na presença do Senhor.

55

Todas as ovelhas haviam sido fechadas naquela casa, tinha sido capaz de contêlas; e os olhos de todas foram abertos, contemplando o Bondoso Senhor; não houve entre elas quem não o viu.

56

Eu igualmente percebi que a casa era grande, larga e extremamente cheia.

57

Depois disso, eu vi que chegou ao mundo um touro branco.

58

Todos os animais do campo e todos os pássaros do céu temiam-no e a ele dirigiam súplicas o tempo todo.

59

Eu vi que todas as suas gerações se transformaram e se converteram em touros brancos.

60

O primeiro deles foi um novilho, que se tornou um grande touro, ornando-se a sua cabeça de chifres poderosos e pretos.

61

Enquanto o Senhor das ovelhas regozijou-se por causa delas, e de todos os novilhos.

62

Eu caí no meio deles: Eu acordei; e vi o todo.

63

Esta é a visão que eu vi, descendo e despertando.

64

Então eu abençoei o Senhor da justiça, e dei glória a Ele.

65

Depois disso eu chorei abundantemente, não cessaram minhas lágrimas, de modo que eu tornei-me incapaz de suportá-lo.

66

Enquanto eu estava olhando, eles fluíram por causa do que eu vi; pois tudo estava vindo e indo; cada circunstância individual com respeito à conduta da humanidade que estava sendo vista por mim.

67

Naquela noite eu relembrei meus sonhos anteriores; e então chorei e me afligi, por causa do que eu tinha visto na visão.