Segundo livro de Enoque - Capitulo 21

De como os anjos deixaram Enoque ali no fim do sétimo céu e se foram

1

E os querubins e serafins que estavam perto do trono, os de seis asas e muitos olhos não se afastaram da face do Senhor, fazendo sua vontade e rodeando seu trono, cantando com doces vozes diante da face do Senhor: "Santo, Santo, Santo, Senhor Soberano dos Exércitos, céus e terra estão pleitos de tua glória".

2

Quando vi essas coisas, aqueles homens disseram-me: "Enoque, foi-nos ordenado que viajássemos até aqui contigo", e esses homens se foram e não mais os vi.

3

E fiquei só no fim do sétimo céu e fiquei com medo e caí de face no chão e disse a mim mesmo: "Ai de mim, que será de mim?"

4

E o Senhor enviou-me um de seus gloriosos, o arcanjo Gabriel, e ele me disse: "Tem coragem, Enoque, não temas, levantate diante da face do Senhor na eternidade, levanta-te e vem comigo".

5

E eu lhe respondi e disse para mim mesmo: "Meu Senhor, minh'alma saiu de mim pelo terror e pelos tremores", e chamei pelos homens que me haviam conduzido a esse lugar, eu havia confiado neles, e com eles estive diante da face do Senhor.

6

E Gabriel pegou-me como a uma folha que é apanhada pelo vento e colocou-me diante da face do Senhor.

7

E eu vi o oitavo céu, que é chamado na língua hebraica de Mazzaroth (constelações), o que muda as estações, a seca e a umidade e das doze constelações do círculo do firmamento que está sobre o sétimo céu.

8

E eu vi o nono céu, que é chamado em hebraico Kuchavim, onde estão as casas divinas das doze constelações do círculo do firmamento.