Livro de Melquisedeque - Capitulo 30

Deus revela a seus anjos os planos de Satanás, os quais advertem o homem do pecado

1

Em Sua onisciência, Deus tinha conhecimento do terrível intento do inimigo.

2

Convocando as Suas hostes principais, revelou-lhes com pesar o iminente perigo que pairava sobre o Universo.

3

Satanás haveria de armar uma cilada, a fim de levar o homem a comer da árvore da ciência do bem e do mal.

4

Ante essa revelação, os filhos da luz ficaram temerosos, pois conheciam a tremenda facilidade de Satanás em enlaçar criaturas inocentes e atirá-las em suas malhas de morte.

5

No solene concílio, sem a autorização de Deus, decidiram enviar, com urgência, mensageiros para advertirem o homem do grande perigo.

6

Dois poderosos anjos foram encarregados dessa decisiva missão.

7

Imediatamente, os mensageiros comissionados irromperam pelos portais de Jerusalém, alcançando o seio do espaço infinito.

8

Em instantes, transpuseram imensidões, cruzando todo o universo.

9

Penetraram no túnel da constelação de Orion, aproximando-se do novo sistema.

10

Podiam agora divisar a pouca distância o Jardim do Éden, onde o destino do Universo estava para ser decidido.

11

No Éden havia descontração.

12

O jovem casal continuava em suas inocentes atividades, desfrutando o prazer de um viver feliz.

13

Longe estavam de pensar que naquele momento todo, que todos os filhos da luz estavam tensos, pensando em seu futuro ameaçado.

14

Adão e Eva viram então no límpido céu o sinal da aproximação dos visitantes celestes e a eles ergueram os braços numa alegre saudação.

15

Adão e Eva admiraram-se, porém, por não verem no semblante deles a mesma alegria.

16

Os visitantes traziam na face uma expressão de anseio que eles não podiam entender.

17

Tentaram mudar-lhes a triste feição, contando-lhes as novas descobertas feitas no paraíso.

18

Os mensageiros, todavia, não tendo tempo disponível como outrora, interromperam-nos com palavras de advertência.

19

Satanás haveria de armar-lhes uma cilada, a fim de levá-los a comer do fruto da árvore da ciência do bem e do mal.

20

Se dessem ouvidos à tentação, fariam sucumbir toda a criação no abismo de um eterno caos.

21

Os anjos lembraram-lhes que o reino lhes fora confiado como um sagrado depósito, devendo, em uma vida de fidelidade, honrar Aquele que por amor esvaziou-Se, colocando-Se numa posição de hóspede do ser humano.

22

Adão e Eva deveriam ser firmes ante as insinuações do inimigo, pois assim selariam a eterna vitória do reino da luz.

23

Falando-lhes da feliz recompensa que se seguiria ao seu triunfo, os anjos revelaram que era plano de Deus a transferência de Jerusalém Celeste para a Terra.

24

Ali, novamente acoplada ao paraíso, permaneceria para sempre.

25

E o homem, submisso ao Criador, reinaria pelos séculos sem fim sobre o monte Sião, em meio aos louvores das hostes universais.

26

Mas tudo isso dependia inteiramente do posicionamento humano frente às tentações do inimigo, que faria de tudo para arrebatar-lhe o reino.

27

Adão e Eva ficaram temerosos ao conhecerem os planos de Satanás, mas foram consolados ao saber e que ele não poderia fazer-lhes nenhum mal, forçando-os a comer do fruto proibido.

28

Se, porventura, procurasse intimidá-los com seu poder, todas as hostes do Eterno viriam em seu socorro.

29

Os mensageiros da luz concluíram sua missão recomendando ao casal permanecerem vigilantes, tendo sempre em mente a responsabilidade que sobre eles repousava.

30

Não deveriam separar-se um do outro, nem por um momento sequer, pois a sós poderiam ser seduzidos.

31

Adão e Eva, agradecidos pelas advertências dos anjos, uniram as vozes num cântico de promessa em uma eterna vitória.

32

Estavam certos de que jamais abandonariam o bendito Criador, ouvindo a voz do tentador.

33

Animados ante a promessa humana, os dois mensageiros retornaram ao seio da Jerusalém Celeste onde, junto às hostes santas, aguardariam com anseio o anelado triunfo.