Livro de Melquisedeque - Capitulo 36

A queda de Adão

1

No dia em que dela comerdes, certamente morrereis.

2

A lembrança desta sentença deixava Adão muito aflito.

3

A expectativa de ver sua amada perecendo em seus braços, era demais para suportar.

4

Esta aflição, contudo, foi diminuindo, ao ver que ela continuava feliz e carinhosa ao seu lado, como se nenhum mal lhe houvesse acontecido.

5

Aliviado, Adão voltou a sorrir, correspondendo aos afetos de sua companheira.

6

Rendia-se às mais doces emoções, longe de saber que era o inimigo quem o envolvia naqueles abraços.

7

Nesse momento de enlevo, Eva começou a falar-lhe de sua experiência com a ciência do bem e do mal.

8

Falou-lhe dos tesouros da sabedoria que lhe haviam sido abertos.

9

Em seu novo reino, viveria muito feliz.

10

Entretanto, essa felicidade seria incompleta sem a participação de seu esposo.

11

Falou-lhe da impossibilidade de retroceder em seus passos, e insistiu para que ele a seguisse.

12

Depois de falar-lhe de sua decisão, Eva, com um doce sorriso, estendeu-lhe as mãos contendo um fruto, pedindo-lhe que o comesse numa demonstração de seu amor por ela.

13

Com a voz tentadora em seus ouvidos, Adão assentou-se no gramado em profunda reflexão.

14

Sua face tornou-se novamente pálida e suas mãos trêmulas.

15

Temia rebelar-se contra o Criador, mas ao mesmo tempo compreendia que não conseguiria viver separado de sua companheira, a quem amava com infinito amor.

16

Eva era carne de sua carne, a extensão de seu ser.

17

Sentia-se angustiado ao ter de tomar uma decisão tão séria.

18

A palidez do rosto de Adão refletiu-se no semblante de todos os fiéis ao Eterno.

19

Ouviram a insinuação do inimigo e perceberam com horror a vacilação do homem.

20

A indecisão de Adão deixava-os desesperados.

21

Se obedecesse ele àquela proposta de Satanás, toda felicidade seria eternamente banida.

22

Na decisão do ser humano estava o destino de todo o Universo.

23

Atenderia ele ao apelo de Satanás?

24

Depois de intensa luta íntima, Adão olhou para sua companheira; a ela unira-se em promessas de uma eterna entrega.

25

Não a deixaria só agora.

26

Partilharia com ela os resultados da rebelião.

27

Tomou então das mãos de Eva um fruto e, num gesto apressado, levou-o à boca.

28

Procurando abafar a voz de sua consciência, que lhe falava de uma eterna perdição, Adão lançou-se nos braços de sua esposa, desfrutando o alto preço de sua rebelião.

29

Satanás, com brados de triunfo, deixou o paraíso, voando rapidamente para junto de suas inumeráveis hostes, que aguardavam ansiosas o resultado de tão arriscada tentativa.

30

Ao saberem da desgraça humana, uniram-se numa estrondosa festa.

31

Sentiam-se seguros.

32

Sião agora lhes pertencia por direito, podendo lá estabelecer um reino eterno, jamais sendo molestados pelas leis do Eterno.