Livro de Melquisedeque - Capitulo 4

As leis do Eterno

1

Envolvendo o primogênito dos anjos com Seu manto de luz, o Eterno passou a falar-lhe dos princípios que haveriam de reger o reino universal.

2

Leis físicas e morais deveriam ser respeitadas em toda a extensão do governo divino.

3

As leis morais resumiam-se em dois princípios básicos: amar a Deus sobre todas as coisas e viver na fraternidade com todas as criaturas.

4

Cada criatura racional deveria ser um canal por meio do qual o Eterno pudesse jorrar aos outros vida e luz.

5

Dessa forma, o Universo cresceria em harmonia, felicidade e paz.

6

Depois de revelar ao formoso anjo as leis de Seu governo, o Eterno confiou-lhe uma missão de grande responsabilidade: seria o protetor daquelas leis, devendo honra-las e revela-las ao Universo prestes a ser criado.

7

Com o coração transbordante de amor a Deus e aos semelhantes, caber-lhe-ia ser um modelo de perfeição: seria Lúcifer, o portador da luz.

8

O príncipe dos anjos; agradecido por tudo, prostrou-se ante o amoroso Rei, prometendo-Lhe eterna fidelidade.