Livro de Melquisedeque - Capitulo 77

Caim tenta chega em casa antes do pôr do Sol

1

Caim, embora cansado da longa jornada, continuava avançando com ligeiros passos, desejando alcançar o sopé da colina antes da noite.

2

Podia divisá-la ainda distante, banhada pelo sol poente.

3

O entardecer que até o dia anterior fora visto como a vitória das trevas sobre a luz, processava-se diante de seus olhos.

4

Via agora o sol envolto por nuvens tintas de um vermelho vivo, tombar como um herói vitorioso, prestes a libertar um continente além, do poder da noite.

5

A escuridão envolveu o vale, e nele Caim que, com os olhos fitos no último clarão a dissipar-se no horizonte, esforçava-se em prosseguir em seus passos.

6

Na colina, o patriarca Adão, com o coração a palpitar de saudade, anseio e dor, preparava-se para oferecer o sacrifício.

7

Intercederia como nunca nessa noite pelo seu filho, cuja ausência torturava sua alma.

8

Eva, em passos lentos, cheia de tristeza, seguiu seu esposo rumo ao altar, acompanhada por Abel e suas duas filhas.

9

Sofriam muito naquela noite, pela ausência de Caim.

10

A esperança de revê-lo fora quase que totalmente banida.

11

Num doloroso esforço Adão ergueu o cordeiro, deitando-o sobre o altar.

12

Quão doloroso era sacrificar, mas não havia outro caminho.

13

Cabisbaixo em meio às trevas, Caim refletia.

14

Todo o seu passado construído por ilusórios sonhos o via em cacos.

15

Estava no limiar de uma nova vida, como uma criança recém nascida sob a luz do altar.

16

Caim esforçava-se para identificar aquele dia especial, de sua conversão.

17

A lembrança do último sacrifício o conscientiza de ser véspera de sábado.

18

Havia saído de casa no quarto dia da semana, quando os seus passos conduziram-no para dentro de uma noite escura e fria, na qual temeu a morte.

19

Refeito, ao amanhecer do quinto dia, prosseguiu rumo ao desconhecido, até deter-se amedrontado no vale dos ossos, onde a tarde transformou-se em noite.

20

Foi dali que contemplou o brilho do anjo que o atraiu com o seu amor.

21

Detido em meio às trevas, Caim recordava com emoção os conselhos do anjo que o levaram a uma mudança de rumo.

22

Lembra-se de seus passos de fé que moveram-no durante todo aquele sexto dia rumo ao lar.

23

Caminhar sob o brilho do sol fora fácil, mas o que fazer agora, quando as trevas o detinham nas selvas?!

24

Caim, porém, alegrou-se ao saber que a escuridão daquela noite seria em breve ferida pela luz do sacrifício.

25

Com anseio aguardava o momento de prosseguir sua jornada, orientado pelo fogo que lhe indicaria o rumo de seu lar.