O livro de Jasar - Capitulo 16

4 reis e oitocentos mil homens de guerra contra Sodoma e as cidades das planícies

1

Naquele tempo, Quedorlaomer rei de Elão enviou a todos os reis vizinhos, para Nimrod, rei de Sinar que estava então sob seu poder, e Tidal, rei de Goyim, e Arioque, rei de Elasar, com quem fez um pacto, dizendo: Subam a mim e ajudem-me, para que possamos ferir todas as cidades de Sodoma e seus habitantes, pois se rebelaram contra mim nestes 13 anos.

2

E estes quatro reis subiram com todos os seus homens, cerca de 800 mil homens, e eles foram, e feriram a todo o homem que encontraram no seu caminho.

3

E os cinco reis de Sodoma e de Gomorra, Shinab rei de Admá, Zeboyim rei de Shemeber, Bera, rei de Sodoma, Bersha rei de Gomorra, e Bela rei de Zoar, saíram para enfrenta-los, e eles juntaram no vale de Sidim.

4

E estes nove reis fizeram guerra no vale de Sidim, e os reis de Sodoma e Gomorra foram derrotados diante dos reis de Elão.

5

E o vale de Sidim estava cheio de poços de cal e os reis de Elão perseguiram os reis de Sodoma, e os reis de Sodoma fugiram de seus acampamentos e cairam nos poços de cal, e todos os que sobreviveram foram para a montanha em busca de segurança, e os cinco reis de Elão vieram depois deles e os perseguiram até às portas de Sodoma, e eles levaram tudo o que havia em Sodoma.

6

E eles saquearam todas as cidades de Sodoma e Gomorra, e tomaram também Ló, filho do irmão de Abrão, e sua propriedade, e apreenderam todas as mercadorias das cidades de Sodoma e eles foram embora, e Unic, servo de Abrão, que estava na batalha, viu isso, e disse a Abrão tudo o que os reis tinham feito com as cidades de Sodoma, e que Ló fora levado cativo por eles.

7

E Abrão ouviu isso, e ele levantou-se com cerca de 318 homens que estavam com ele, e ele naquela noite perseguiu esses reis e os feriu, e todos eles caíram diante de Abrão e seus homens, e não havia nenhum que restou mas os quatro reis fugiram, e eles foram cada um pelo seu caminho.

8

E Abrão recuperou todos os bens de Sodoma, e ele também recuperou Ló e sua propriedade, suas esposas e filhos e para tudo que lhes pertencia, e a Ló não faltou nada.

9

E terminou de ferir esses reis, ele e seus homens passaram o vale do Sidim onde os reis fizeram guerra juntos.

10

E Bera, rei de Sodoma, e o resto de seus homens que estavam com ele, saíram dos poços de cal em que haviam caído, para cumprimentar Abrão e seus homens.

11

E Adonizedeque rei de Jerusalém, o mesmo era Shem, saiu com seus homens para cumprimentar Abrão e seu povo, com pão e vinho, e permaneceram juntos no vale de Meleque.

12

E Adonizedeque abençoou Abrão, e Abrão deu-lhe o dízimo de tudo o que ele tinha trazido do despojo de seus inimigos, para Adonizedeque era um sacerdote diante de Deus.

13

E todos os reis de Sodoma e Gomorra que estavam lá, com seus servos, pediram a Abrão que ele devolvesse seus servos que ele fizera cativo, e tomasse para si toda a propriedade.

14

E Abrão respondeu os reis de Sodoma, dizendo: Como vive o Senhor que criou o céu e da terra, e que remiu a minha alma de toda a angústia, e que me livrou hoje de meus inimigos, e os deu na minha mão, eu não vou levar nada pertencente a vocês, para que vocês não se vangloriem de amanhã, dizendo, Abrão ficou rico da nossa propriedade que ele salvou.

15

O Senhor Deus, em quem confio me disse: Nada te falta, eu te abençoarei em todas as obras das tuas mãos.

16

E agora, pois, eis que aqui está tudo que lhes pertence, levem e vão como o Senhor vive eu não reterei nada de vocês, com exceção da despesa do alimento de quem saiu comigo para a batalha, como também as partes dos homens que foram comigo, Anar, Ashcol e Manre, eles e os seus homens, assim como também os que tiveram de vir junto para cuidar da bagagem, eles devem tomar a sua parte dos despojos.

17

E os reis de Sodoma deu Abrão concordaram com tudo o que ele tinha dito, e eles insistiram para que ele tomasse de tudo o que ele quisesse, mas ele não quis.

18

E ele enviou os reis de Sodoma e o restante de seus homens, e deu-lhes ordens sobre Ló, e eles foram para seus respectivos lugares.

19

E Ló, filho de seu irmão, foi mandado embora com sua propriedade, e foi com eles, e Ló voltou para sua casa, para Sodoma, e Abrão e seu povo voltou para sua casa para as planícies de Manre, que fica em Hebron.

20

Naquele tempo o Senhor novamente apareceu a Abrão, em Hebron, e ele disse-lhe: Não temas, a tua recompensa é muito grande diante de mim, porque eu não te deixarei, até que eu te tenha multiplicado, e abençoado e feito a tua descendência como as estrelas no céu, de forma que não possa ser medida nem contada.

21

E eu darei à tua descendência todas estas terras que tu vês com os teus olhos, pois a ela eu a darei por herança para sempre, apenas ser forte e não temas, anda diante de mim e sê perfeito.

22

E no ano septuagésimo oitavo da vida de Abrão, no ano que morreu Reu, filho de Pelegue, e todos os dias da Reu foram 239 anos, e morreu.

23

E Sarai, filha de Harã, mulher de Abrão, era estéril, e ela ainda não tinha dado a Abrão, filho ou filha.

24

E, quando viu que ela não dava à luz filhos, ela tomou sua serva Hagar, a quem Faraó tinha dado a ela, e ela a deu a Abrão seu marido para uma mulher.

25

Para Hagar aprender todas as formas de Sarai, e Sarai como ensinou ela, e ela se lhe sujeitava em tudo.

26

E disse Sarai a Abrão: Eis aqui está a minha serva Hagar, entra a ela para que ela possa gerar de entre seus joelhos um filho, para que eu possa obter também crianças através dela.

27

E habitavade Abrão na terra de Canaã, e tinha Abrão 85 anos de idade, Sarai deu Hagar a ele.

28

E ouviu Abrão a voz de sua esposa Sarai, e ele tomou sua serva Hagar e Abrão entrou a ela e ela concebeu.

29

E, quando Hagar viu que ela havia concebido ela se alegrou muito, e sua senhora era desprezada aos seus olhos, pois ela disse dentro de si, isso só pode significar que eu sou melhor aos olhos de Deus do que Sarai minha senhora, pois todos os dias que a minha patroa esteve com meu senhor, e ela não concebeu, mas o Senhor me fez em tão pouco tempo conceber por ele.

30

E quando Sarai viu que Hagar tinha concebido por Abrão, Sarai ficou com ciúmes dela, e disse Sarai dentro de si, esta é certamente melhor do que eu sou.

31

E disse Sarai a Abrão: Meu agravo seja sobre ti, pois no momento em que tu oraste diante do Senhor por crianças porque não pediste por mim, para que o Senhor me deixasse ter semente de ti?

32

E quando eu falo a Hagar na tua presença, ela despreza as minhas palavras, porque ela concebeu, e tu não falas nada a ela; que o Senhor julgue isso que tu tens feito a mim.

33

E disse Abrão a Sarai: Eis que tua serva está na tua mão, faz-lhe como te parecer bom aos teus olhos, e Sarai a afligiu, e Hagar fugiu dela para o deserto.

34

E um anjo do Senhor a encontrou no lugar onde ela tinha fugido, e ele disse: não tenhas medo, pois eu multiplicarei a tua descendência, pois terás um filho e tu lhe chamarás de Ismael; agora pois volta para Sarai tua senhora e humilha-te debaixo de suas mãos.

35

E Agar chamou o lugar Beer-Laai-roi, é entre Cades e do deserto de Bered.

36

E naquela época voltou Agar à casa de seu senhor, e no final dos seus dias, Hagar gerou um filho a Abrão, e Abrão pôs o nome de Ismael e Abrão tinha oitenta e seis anos quando ela gerou ele.