O livro de Jasar - Capitulo 19

As abominações do povo de Sodoma e Gomorra

1

E Sodoma tinham quatro juízes para quatro cidades, e estes são os seus nomes, Serak na cidade de Sodoma, em Gomorra Sharkad, Zabnac em Admá e Menon em Zeboyim.

2

E o servo de Abraão, Eliezer, chamou-os de nomes diferentes, e ele se chamou a Serak de Shakra, a Sharkad de Shakrura, a Zebnac de Kezobim e a Menon de Matzlodin.

3

E por desejo de seus quatro juízes o povo de Sodoma e Gomorra tinha posto camas nas ruas das cidades, e se um homem viesse a esses lugares, ordenaram que o tomassem e o forçassem a deitar-se em uma de suas camas.

4

E assim que se deitasse, três homens estariam em sua cabeça e três aos seus pés, e o esticassem pela cama, e se o homem fosse menor do que o leito, esses seis homens teriam de estica-lo em cada extremidade, e quando ele gritasse para eles que não poderiam responder-lhe.

5

E, se ele fosse maior do que a cama, eles afastariam as duas extremidades da cama, até que o homem houvesse chegado às portas da morte.

6

E se continuasse a gritar, eles iriam responder, dizendo: Assim será feito ao homem que vem em nossa terra.

7

E quando os homens ouviam todas essas coisas que as pessoas das cidades de Sodoma faziam, eles abstinham-se de ir lá.

8

E, se um homem pobre viesse à sua terra, eles lhe dariam prata e ouro, e proclamavam em toda a cidade que não lhe fosse dado sequer um pedaço de pão para comer, e se o estranho permanecesse lá alguns dias, e morresse de fome, não tendo sido capaz de obter um bocado de pão, depois de sua morte todas as pessoas da cidade vinham e tomavam a sua prata e ouro que tinham dado a ele.

9

E aqueles que pudessem reconhecer a prata ou ouro que lhes tinham dado, o levavam de volta, em sua morte, eles também lhes tiravam as roupas, e lutariam por elas, e o prevalecesse sobre o seu vizinho as tomaria para si.

10

Eles depois o levavam e o enterravam sob algum dos arbustos nos desertos, e deste modo eles fizeram todos os dias a qualquer um que viessem ate eles e morressem na sua terra.

11

E, no decorrer do tempo, Sara enviou Eliezer para Sodoma, para ver Ló e saber de seu estado.

12

E Eliezer foi a Sodoma, e ele encontrou um homem de Sodoma lutando com um estranho, e os homem de Sodoma despiu o pobre homem de todas as suas roupas e o abandonou.

13

E este pobre clamou a Eliezer e suplicou a seu favor por causa do que o homem de Sodoma tinha feito a ele.

14

E ele lhe disse: Por que tu agiste assim para com o pobre homem que veio para a tua terra?

15

E o homem de Sodoma respondeu Eliezer, dizendo: É este homem, teu irmão, ou pessoas de Sodoma te constituíram um juiz neste dia, para que tu defendas este homem?

16

E Eliezer lutou com o homem de Sodoma por causa do pobre homem, e quando Eliezer se aproximou para recuperar a roupa do pobre do homem de Sodoma, ele apressou-se e com uma pedra feriu a Eliezer na testa.

17

E o sangue fluiu copiosamente da testa de Eliezer, e quando o homem viu o sangue ele agarrou Eliezer, dizendo: Dá-me o meu salário para que te livre deste mau sangue que está na tua testa, pois tal é o costume e a lei em nossa terra.

18

E Eliezer disse-lhe: Tu me feriu e requeres que te pague o teu salário; e Eliezer não quis dar ouvidos às palavras do homem de Sodoma.

19

E o homem lançou mão de Eliezer e levou-o para Shakra o juiz de Sodoma para julgamento.

20

E o homem falou com o juiz, dizendo: Rogo-te, meu senhor, assim e assim esse homem fez, e eu feri-o com uma pedra de forma que o sangue fluiu de sua testa, e ele não está disposto a dar-me o meu salário.

21

E o juiz disse a Eliezer, Este homem fala a verdade a ti, dá-lhe o seu salário, para isso é o costume em nossa terra, e Eliezer ouviu as palavras do juiz, e ele agarrou uma pedra e feriu o juiz, e a pedra bateu na testa, e o sangue fluiu copiosamente da testa do juiz, e Eliezer disse: Se isso, então é o costume em sua terra dá tu a este homem o que eu deveria ter dado a ele, pois isso tem sido a tua decisão, e tu o decretas-te.

22

E Eliezer deixou o homem de Sodoma com o juiz, e ele foi embora.

23

E os reis de Elão fizeram guerra contra os reis de Sodoma, e os reis de Elão capturaram todos os bens de Sodoma, e tomaram Ló cativo, com sua propriedade, e quando isto foi dito a Abraão, ele foi e fez a guerra com os reis de Elão, e ele recuperou suas mãos toda a propriedade do Ló, bem como a propriedade de Sodoma.

24

E naquele tempo a mulher de Ló lhe deu uma filha, e chamou o seu nome Paltith, dizendo: "Porque Deus tinha entregue ele e toda a sua família dos reis de Elão", e Paltith filha de Ló cresceu, e um dos homens de Sodoma a tomou para esposa.

25

E um homem pobre chegou à cidade em busca de manutenção, e ele permaneceu na cidade alguns dias, e todas as pessoas de Sodoma, proclamaram como era seu costume, de não dar a este homem um pedaço de pão para comer, até que ele caísse morto sobre a terra, e elas assim fizeram.

26

E Paltith a filha de Ló viu este homem deitado na rua morrendo de fome, e ninguém lhe dava qualquer coisa para mantê-lo vivo, e ele estava prestes a morrer.

27

E a sua alma se encheu de compaixão por causa do homem, e ela lhe deu secretamente pão para muitos dias, e a alma deste homem reviveu.

28

Porque, quando ela saía para buscar água, ela colocava o pão na jarra de água, e quando ela chegava ao lugar onde o pobre homem estava ela tomava o pão do jarro e dava-lhe de comer, e assim fez ela fez por muitos dias.

29

E as pessoas de Sodoma e Gomorra se perguntavam como esse homem pode suportar a fome por tantos dias.

30

E disseram uns aos outros, isso só pode ser porque ele come e bebe, pois nenhum homem pode suportar a fome por tantos dias ou viver como este homem tem vivido, sem que o seu semblante se altere, e três homens ocultaram-se perto do lugar onde o pobre homem estava para saber quem era que lhe trazia pão para comer.

31

E a filha Paltith de Ló saiu naquele dia para buscar água, e ela colocou o pão em seu jarro de água, e ela foi tirar água no lugar do pobre, e ela tirou o pão do jarro e deu-o ao pobre homem e ele comeu.

32

E os três homens viram o que Paltith fez com o pobre homem, e disse-lhe: És tu então que o apoias, e, portanto, não tem passado fome, nem mudou de aparência e nem morreu como os restantes.

33

E os três homens saíram do local em que eles estavam escondidos, e eles agarraram Paltith e o pão que estava na mão do pobre homem.

34

E tomaram Paltith e trouxe-a diante de seus juízes, e eles disseram-lhes: Assim e assim fez ela, e é ela que fornece o pobre homem com pão, e é por isso que ele não morreu durante todo esse tempo, portanto, declara-nos então o castigo devido a esta mulher por ter transgredido nossa lei.

35

E o povo de Sodoma e Gomorra reuniu-se e acendeu um fogo numa rua da cidade, e levou a mulher e lançou-a para o fogo e ela foi reduzida a cinzas.

36

E na cidade de Admá havia uma jovem mulher a quem fez igual.

37

Pois um viajante veio para a cidade de Admá para ficar ali a noite toda, com a intenção prosseguir para sua casa de manhã, e ele se sentou em frente à porta da casa do pai dessa jovem, para permanecer lá, pois o sol havia se posto quando se chegou naquele lugar, e a jovem mulher viu-o sentado ao lado da porta da casa.

38

E pediu-lhe um copo de água e respondeu-lhe: Quem és tu? E ele disse para ela, eu estava neste dia na estrada, e cheguei aqui quando o sol se pôs, então eu vou passar aqui toda a noite, e de manhã me levantarei cedo e continuarei minha jornada.

39

E a jovem entrou na casa e foi buscar pão e água ao homem para comer e beber.

40

E este caso se tornou conhecido do povo de Admá, e eles juntaram-se e trouxeram a jovem diante dos juízes, para que a julgassem por este ato.

41

E disse o juiz, esta mulher é digna de morte ela transgrediu a nossa lei, e esta é, portanto, a decisão sobre ela.

42

E as pessoas dessa cidade se reuniram e trouxeram a mulher jovem, e a ungiram com mel da cabeça aos pés, como o juiz havia decretado, e a colocaram diante de um enxame de abelhas que estava então em suas colmeias, e as abelhas voavam sobre ela e picaram o seu corpo inteiro ao ponto de ficar inchado.

43

A jovem gritou por causa das abelhas, e ninguém ligou ou teve dó dela, e seus gritos ascenderam aos céus.

44

E o Senhor foi provocado nesta e em todas as obras das cidades de Sodoma, pois tinham abundância de alimentos, e tinham tranquilidade entre eles, e ainda assim não sustentavam os pobres e os necessitados, e nestes dias, as suas maldades e pecados se tornaram grandes diante do Senhor.

45

E o Senhor enviou dois dos anjos que foram à casa de Abraão, para destruir Sodoma e suas cidades.

46

E os anjos se levantaram da porta da tenda de Abraão, depois de terem comido e bebido, e chegaram a Sodoma ao anoitecer, e Ló estava então, sentado à porta de Sodoma e quando os viu, levantou-se para conhecê-los, e ele se inclinou para o chão.

47

E ele os pressionou muito e os trouxe para sua casa, e deu-lhes víveres, para que eles comessem, e ficaram toda a noite em sua casa.

48

E os anjos disseram a Ló: Levanta-te, sai deste lugar, tu com tudo que pertence a ti, para que não pereças na injustiça desta cidade, porque o Senhor vai destruir este lugar.

49

E os anjos apressaram a mão de Ló e a mão de sua esposa, e as mãos de seus filhos, e todos pertencentes a ele, e tiraram-no e puseram-nos fora das cidades.

50

E eles disseram a Ló, escapa-te para a tua vida, e ele fugiu e todos os que lhe pertenciam.

51

Então o Senhor fez chover enxofre e fogo do céu sobre Sodoma e Gomorra e sobre todas estas cidades.

52

E destruiu essas cidades e toda a planície e todos os habitantes das cidades, e o que nascia da terra, e Ado, a mulher de Ló, olhou para trás para ver a destruição das cidades, com compaixão por suas filhas que permaneceram em Sodoma, pois elas não foram com ela.

53

E, quando ela olhou para trás, ela se tornou uma estátua de sal, e ainda está naquele lugar até este dia.

54

E os bois que estão naquele lugar, diariamente lambem o sal das extremidades de seus pés, e de manhã, brotam de novo, eles novamente o lambem até hoje.

55

E Ló e suas duas filhas, esconderam-se na caverna de Adulão e lá permaneceram por algum tempo.

56

E Abraão levantou-se de madrugada para ver o que tinha sido feito às cidades de Sodoma, e ele olhou e viu a fumaça das cidades subindo como fumaça de uma fornalha.

57

E Ló e suas duas filhas permaneceram na caverna, e elas fizeram o seu pai beber vinho, e se deitaram com ele, pois disseram que não havia homem na terra que pudesse dar semente deles, pois eles achavam que a terra inteira havia sido destruída.

58

E ambas se deitaram com seu pai, e elas conceberam e geraram filhos, e ao primogénito chamaram o nome de seu filho Moabe, dizendo: "Do meu pai eu o concebi", e ele é o pai dos moabitas até este dia.

59

E ao menor chamaram seu filho de Benami, ele é o pai dos filhos de Amon até este dia.

60

E após isto, Ló e suas duas filhas foram embora de lá, e ele habitou no outro lado do Jordão com suas duas filhas e seus filhos, e os filhos de Ló cresceram, e tomaram mulheres da terra de Canaã, geraram filhos, frutificaram e se multiplicaram.