O livro de Jasar - Capitulo 31

Jacó é enganado e é dada Lea no lugar de Rachel

1

E no sétimo ano, o serviço de Jacó, com que serviu Labão terminou, e Jacó disse a Labão: Dá-me minha mulher, pois os dias do meu serviço estão cumpridos, e Labão assim o fez, e Labão e Jacó reuniram todas as pessoas daquele lugar e fizeram um banquete.

2

E à noite Labão entrou na casa, e depois veio Jacó com as pessoas da festa, e Labão apagou todas as luzes que estavam lá na casa.

3

E Jacó disse a Labão; Porque fazes tu isto? E Labão respondeu; Esse é o nosso costume nesta terra.

4

E depois Labão levou sua filha Lia, e trouxe-a a Jacó, e ele não sabia que ela era Lia.

5

E Labão deu a sua filha Lia, Zilpa sua empregada doméstica para sua serva.

6

E todas as pessoas na festa sabiam o que Labão havia feito a Jacó, mas não disseram nada a Jacó.

7

E todos os vizinhos vieram naquela noite à casa de Jacó, e comeram e beberam e regozijou-se, e folgaram diante de Lia com tamboris, e com danças, e eles a elogiaram diante de Jacó e Lia.

8

E Jacó ouviu as palavras deles, mas não compreendeu o seu significado, mas ele pensou que tal pudesse ser seu costume nessa terra.

9

E os vizinhos falaram estas palavras diante de Jacó, durante a noite, e todas as luzes que haviam em casa de Labão foram sendo apagadas.

10

E pela manhã, quando a luz apareceu, Jacó virou-se para sua esposa e ele viu, e eis que era Lia, que estava deitada no seu seio, e Jacó disse: Eis que entendo agora o que os vizinhos disseram ontem à noite, eis Lia, eles disseram, e eu não o sabia.

11

E chamou Jacó a Labão, e disse-lhe: Que é isto que tu me fizeste? Certamente te servi por Raquel, e por que me enganaste tu ao me dares Lia?

12

E Labão respondeu a Jacó, dizendo: Não, assim é feito em nosso lugar, que se dê a menor antes da mais velha, agora, pois, se tu desejas levar sua irmã do mesmo modo, toma-a para ti também, por mais sete anos de teu serviço.

13

E Jacó fez assim, e também levou Raquel para sua mulher, e serviu Labão mais sete anos, e Jacó também veio a Raquel, e amou Raquel mais do que Lia, e Labão deu sua serva Bila para sua serva.

14

E quando o Senhor viu que Lia era desprezada, o Senhor abriu seu ventre, e ela concebeu e deu a Jacó quatro filhos nesses dias.

15

E estes são os seus nomes, Rubén, Simeão, Levi, e Judá, e ela parou de gerar.

16

E naquele tempo Raquel era estéril, e ela não tinha filhos, e Raquel invejava sua irmã Lia, e quando Raquel viu que ela não dava à luz filhos a Jacó, ela tomou sua serva Bila, e ela deu a Jacó dois filhos, Dan e Naftali.

17

E quando Lia viu que ela tinha deixado de gerar, ela também tomou sua serva Zilpa, e ela deu a Jacó por mulher, e Jacó também veio a Zilpa, e ela também deu a Jacó dois filhos, Gade e Aser.

18

E Lia concebeu novamente a Jacó gerando naqueles dias dois filhos e uma filha, e estes são os seus nomes, Issacar, Zebulon, e sua irmã Dinah.

19

E Raquel ainda era estéril, naqueles dias, e Raquel orou ao Senhor, nesse momento, e ela disse: Ó Senhor, nosso Deus, lembra-te de mim visita-me, eu te peço, por quanto meu marido me lançará fora, pois eu ainda não lhe dei nenhuma criança.

20

Agora, ó Senhor Deus, ouve a minha súplica diante de ti, e vê a minha aflição, e dá-me crianças como uma das servas, pois eu não mais suporto o meu opróbrio.

21

E Deus ouviu e abriu seu ventre, e Raquel concebeu e deu à luz um filho, e ela disse, O Senhor tirou o meu opróbrio, e chamou o seu nome José, dizendo: Que o Senhor me acrescente outro filho, e Jacó tinha 91 anos de idade, quando ela lhe deu ele.

22

Naquele tempo a mãe de Jacó, enviou sua criada Deborah filha de Uz, e dois dos servos de Isaac a Jacó.

23

E vieram para Jacó em Haran e disseram-lhe: Rebeca enviou-nos a ti para que retornes a casa de teu pai para a terra de Canaã, e Jacó deu ouvidos ao que sua mãe tinha falado.

24

Naquele tempo, os outros sete anos com que Jacó serviu Labão por Raquel estavam concluídos, e foi no final de 14 anos que tinha habitado em Haran, que disse Jacó a Labão, dá-me as minhas mulheres, e manda-me embora, para que eu possa ir para a minha terra, para que conheçam a minha mãe que me chamou e volta à da terra em Canaã para voltar para a casa do meu pai.

25

E Labão disse-lhe: Não, peço-te, se tenho achado graça aos teus olhos não me deixem a mim, aponta-me o teu salário e eu te darei, e permanece comigo.

26

E disse a ele, isto é o que hás de me dar por salário, Para cuidar de todo o teu rebanho, separarás para mim todos os cordeiro que é salpicado e malhado com marrom entre as ovelhas e as cabras e todos os que assim nascerem, e se tu aceitares isso eu vou voltar a alimentar o teu rebanho e a guarda-los como no início.

27

E Labão fez, e Labão removeu de seu rebanho tudo o que Jacó tinha dito e deu a ele.

28

E Jacó colocou tudo o que tinha recebido do rebanho de Labão nas mãos de seus filhos, e Jacó estava alimentando o restante do rebanho de Labão.

29

E quando os servos de Isaac que ele havia enviado a Jacó viram que ele não iria segui-los, para retornar com eles para a terra de Canaã, apai, então afastaram-se dele, e eles voltaram para casa, para a terra de Canaã.

30

E Deborah ficou com Jacó em Haran, e ela não voltou com os servos de Isaac para a terra de Canaã, e Deborah residia com as esposas de Jacó e as crianças em Haran.

31

E Jacó serviu Labão seis anos a mais, e quando as ovelhas davam à luz, Jacó separava para ele os eram salpicados e malhados, como tinha determinado com Labão, e Jacó serviu a Labão por seis anos, e o homem se engrandeceu muito e ele tinha gado e servas, servos, camelos e jumentos.

32

E Jacó tinha 200 cabeças de gado, e seu gado era de grande porte e de aparência bonita e foram muito produtivas, e todas as famílias dos filhos de homens desejavam obter algum do gado de Jacó, porque era extremamente próspero.

33

E muitos dos filhos de homens procuraram adquirir algumas cabeças do rebanho de Jacó, e Jacó dava a eles uma ovelha em troca de um servo homem ou uma serva, ou de um jumento ou um camelo, ou o que quer que Jacó deseje deles, devam-lhe.

34

E Jacó obteve riquezas, e honra e bens por meio dessas transações com os filhos dos homens, e os filhos de Labão, o invejavam dessa honra.

35

E, no decorrer do tempo, ouviu as palavras dos filhos de Labão, dizendo: Jacó tem tomado tudo o que era de nosso pai, e do que era de nosso pai ele adquiriu toda essa glória.

36

Viu também Jacó que Labão e seus filhos, não era para ele nesses dias como tinha sido antes.

37

E o Senhor apareceu a Jacó no termo de seis anos, e disse-lhe: Levanta-te, sai desta terra, e volta para a tua terra natal e eu serei contigo.

38

E Jacó levantou-se naquele momento e montou seus filhos e esposas e todos pertencentes a ele sobre camelos, e ele saiu para ir para a terra de Canaã, a seu pai Isaac.

39

E Labão não sabia que Jacó se tinha ido dele, pois Labão tinha estava tosquiando nesse dia.

40

E Raquel roubou as imagens de seu pai, e escondeu-as sobre o camelo em que ela se sentou, e ela partiu.

41

E este era o costume das imagens, em tomar a cabeça de um primogénito sacrificado, tirar-lhe os cabelos de sua cabeça, ungindo-as em óleo e sal, e em seguida, tomando uma pequena placa de cobre ou de ouro, escreviam o seu nome em cima dela, e a colocavam debaixo da língua, e uma vez tendo a cabeça com sua placa debaixo da língua a colocavam na casa, e acendendo as luzes, se curvavam diante de suas imagens.

42

E, no momento em que se curvavam a elas, elas falariam para eles em todos os assuntos que eles pedissem, através do poder do nome que está escrito nela.

43

E alguns as fazem em figuras de homens, de ouro e prata, e vão até elas, em tempos conhecidos por eles, e as imagens recebem a influência das estrelas, e dizem-lhes coisas futuras, e desta maneira eram as imagens que Raquel roubou de seu pai.

44

E Raquel roubou essas imagens que eram de seu pai, a fim de que Labão não pudesse saber através delas pra onde que Jacó tinha ido.

45

E Labão chegou em casa e perguntou acerca de Jacó e sua família, pois não sabia deles, e Labão procurou as suas imagens para saber onde Jacob tinha ido, e não as encontrou, e ele foi para algumas outras imagens, e perguntou-lhes e disseram-lhe que Jacó havia fugido dele para seu pai, para a terra de Canaã.

46

E Labão então se levantou e tomou seus irmãos e todos os seus servos, e ele saiu e perseguiu Jacó, e alcançou-o na montanha de Gileade.

47

E Labão disse a Jacó: Que é isto que fizeste-me de fugir e me enganar, e levar minhas filhas e seus filhos como cativas pela espada?

48

E que não me deixas beija-los e enviá-los com alegria, e roubas meus deuses e te vais embora?

49

E Jacó respondeu a Labão, dizendo: Porque eu estava com medo de que tu quisesses tomar as tuas filhas à força de mim, e agora com quem achares os teus deuses, ele morrerá.

50

E Labão procurou as imagens em tendas todas de Jacó e bagagens, mas não conseguiu encontrá-los.

51

E Labão disse a Jacó: Nós vamos fazer um pacto juntos e isso será um testemunho entre mim e ti, se tu afligires as minhas filhas, ou tomares outras mulheres além da minhas filhas, até mesmo Deus deve ser uma testemunha entre mim e ti nesta matéria.

52

E tomaram pedras e fizeram um montão, e Labão disse: Este montão é hoje testemunha entre mim e ti, portanto, ele chamou o seu nome de Gileade.

53

E Jacó e Labão ofereceram um sacrifício na montanha, e eles comeram, e ficaram no monte toda a noite, e Labão levantou-se de manhã cedo, e ele chorou com suas filhas e ele beijou-as, e ele voltou para o seu lugar.

54

E ele se apressou e mandou seu filho Beor, que tinha 17 anos de idade, com Abichorof, o filho de Uz, filho de Naor, e com eles estavam 10 homens.

55

E eles se apressaram e foram passaram adiante na estrada antes de Jacó, os quais foram por outro caminho para a terra de Seir.

56

E vieram a Esaú, e disse-lhe: Assim diz teu irmão e parente, irmão da mãe Labão, filho de Betuel, dizendo:

57

ouviste o que Jacó, teu irmão fez a mim, que primeiro me veio nu e descoberto, e fui me encontrar com ele, e trouxe-o para minha casa com honra, e eu o fiz grande, e eu lhe dei as minhas duas filhas para esposas e também duas das minhas empregadas.

58

E Deus o abençoou em minha conta, e ele aumentou muito, e teve filhos, filhas e servos.

59

Ele tem também um número imenso de ovelhas e bois, camelos e jumentos, também de prata e ouro em abundância, e quando ele viu que sua riqueza aumentou, ele me deixou, e enquanto eu fui tosquiar minhas ovelhas, e ele se levantou e fugiu em segredo.

60

E ele levantou suas esposas e filhos sobre camelos, e ele levou todo o seu gado e propriedade que ele adquiriu na minha terra, e levantou seu rosto para ir para o seu pai Isaac, para a terra de Canaã.

61

E ele não me deixou beijar minhas filhas e seus filhos, e ele levou as minhas filhas como cativas pela espada, e ele também roubou meus deuses e ele fugiu.

62

E eu o tenho deixado na montanha do ribeiro de Jabuk, ele e seus pertencentes, sem que nada lhe tomasse.

63

Se o teu desejo é de ir ter com ele, então vai lá e tu encontrá-lo, e tu podes fazer aos dele como a tua alma quiser, e os mensageiros de Labão vieram e disseram a Esaú todas essas coisas.

64

E Esaú ouviu todas as palavras dos mensageiros de Labão, e sua ira se acendeu de grande maneira contra Jacó, e ele se lembrou de seu ódio e sua raiva que ardiam dentro dele.

65

E Esaú correu e levou os filhos e servos e as almas de sua casa, sendo 60 homens, e ele foi e reuniu todos os filhos de Seir, o horeu e suas pessoas, sendo 340 homens, e tomou todo esse número de 400 homens com espadas desembainhadas, e ele passou a Jacó para feri-lo.

66

E Esaú dividiu este número em várias partes, e ele levou 60 homens de seus filhos e os servos e as almas de sua casa como uma só cabeça, e entregou-os aos cuidados de Elifaz, seu filho mais velho.

67

E as cabeças restantes ele deu ao cuidado dos seis filhos de Seir, o horeu, e ele colocou a cada homem sobre suas gerações e crianças.

68

E Esaú foi entre eles em direção a Jacó, e conduziu-os com rapidez.

69

E os mensageiros de Labão partiram de Esaú e foram para a terra de Canaã, e eles chegaram à casa de Rebeca, mãe de Jacó e Esaú.

70

E disseram-lhe, falando: Eis o teu filho Esaú foi contra seu irmão Jacó com 400 homens, pois ele soube que ele estava chegando, e foi para fazer a guerra com ele, e feri-lo e tomar tudo o que ele tem.

71

E Rebeca apressou-se e mandou 72 homens dos servos de Isaac para avisar Jacó na estrada, pois disse: Porventura, Esaú irá fazer a guerra na estrada quando ele o encontrar.

72

E esses mensageiros passaram pela estrada para encontrar Jacó, e encontraram-no no caminho do ribeiro, no lado oposto do ribeiro Jabuk, e Jacó disse quando os viu, este acampamento é herança de Deus para mim, e Jacó chamou o nome daquele lugar Machnayim.

73

E Jacó conhecia todas a que pessoas da casa de seu pai, e ele os beijou e abraçou-os e vieram com eles, e Jacó perguntou-lhes seu pai e sua mãe, e eles disseram: Eles estão bem.

74

E esses mensageiros disseram a Jacó, Rebeca tua mãe enviou-nos a ti, dizendo: Eu ouvi, meu filho, que teu irmão Esaú foi adiante contra ti na estrada com homens dos filhos de Seir, o horeu.

75

E, portanto, meu filho, ouve a minha voz e vê com este conselho o que tu queres fazer, e quando ele vier para ti, suplica-lhe, e não fales precipitadamente para ele, e dá a ele um presente que tu possuas, daqueles com que Deus te tem favorecido.

76

E quando ele vos perguntar sobre teus assuntos, não escondas nada dele, talvez ele se compadeça a afaste sua ira contra ti, e tu, assim, salves a tua alma, tu e de todos pertencentes a ti, pois é teu dever homenageá-lo, pois ele é teu irmão mais velho.

77

E quando Jacó ouviu as palavras de sua mãe, que os mensageiros tinha falado a ele, Jacó levantou a sua voz e chorou amargamente, e fez como sua mãe, então, lhe ordenara.