O livro de Jasar - Capitulo 39

Os filhos de Jacob destroem cidades de Canaã e matam seus habitantes

1

E quando os filhos de Jacó saíram da cidade de Sarton, eles tinham percorrido cerca de duzentos côvados quando se encontraram com os habitantes de Tapnach vindo na direção deles, para lutar com eles, porque eles tinham ferido a seu rei de Tapnach e todos os seus homens.

2

Então, todos os que restaram na cidade de Tapnach saiu para lutar com os filhos de Jacó, e eles pensaram em devolver o saque e os despojos que tinham capturado na cidade de Cházar e Sarton.

3

E o resto dos homens de Tapnach lutou com os filhos de Jacó naquele lugar, e os filhos de Jacó feriram-nos, e eles fugiram, e eles os perseguiram até a cidade de Arbelan, e todos eles caíram diante dos filhos de Jacó.

4

E os filhos de Jacó voltaram e vieram a Tapnach, para tirar o despojo dos de Tapnach, e quando eles vieram para Tapnach ouviram que o povo de Arbelan tinha ido ao encontro deles para salvar o despojo de seus irmãos, e os filhos de Jacó deixaram 10 de seus homens em Tapnach para saquear a cidade, e saíram em direção às pessoas de Arbelan.

5

E os homens de Arbelan saíram com suas esposas para lutar com os filhos de Jacó, pois suas esposas eram experientes em batalha, e eles saíram, cerca de 400 homens e mulheres.

6

E todos os filhos de Jacó gritaram em alta voz, e todos eles correram para os habitantes de Arbelan, e com uma grande voz e tremenda.

7

E os habitantes de Arbelan ouviram o barulho dos gritos dos filhos de Jacó, e seus rugidos como o ruído de leões e como o bramido do mar e suas ondas.

8

E medo e terror possuíram seus corações por conta dos filhos de Jacó, e eles ficaram com muito medo deles, e eles recuaram e fugiram de diante deles para a cidade, e os filhos de Jacó perseguiram-nos até à porta da cidade, e vieram sobre eles na cidade.

9

E os filhos de Jacó lutaram com eles na cidade, e todas as suas mulheres estavam envolvidas e atirando contra os filhos de Jacó, e o combate foi muito grave entre eles, durante todo dia até à noite.

10

E os filhos de Jacó, não puderam prevalecer sobre eles, e os filhos de Jacó quase pereceram na batalha, e os filhos de Jacó clamaram ao Senhor e foram prevalecendo até à noite, e os filhos de Jacó feriram todos os moradores de Arbelan ao fio da espada, homens, mulheres e pequeninos.

11

E também o restante das pessoas que fugiram de Sarton, os filhos de Jacó feriram em Arbelan, e os filhos de Jacó fizeram de Arbelan e Tapnach como tinham feito a Cházar e Sarton, e quando as mulheres viram que todos os homens estavam mortos, elas foram para cima dos telhados da cidade e feriram os filhos de Jacó, atirando pedras como chuva.

12

E os filhos de Jacó se apressaram e entraram na cidade e cercaram todas as mulheres e as feriram ao fio da espada, e os filhos de Jacó capturou todo o despojo, rebanhos, manadas e gado.

13

E os filhos de Jacó fizeram a Machnaymah como haviam feito para Tapnach, para Cházar e Shiloh, e eles voltaram de lá e foram embora.

14

E no quinto dia os filhos de Jacó ouviram que o povo de Gaás se reunira para batalhar contra eles, porque eles tinham matado o seu rei e os seus capitães, pois havia 14 capitães, na cidade de Gaash, e os filhos de Jacótinham matado todos eles na primeira batalha.

15

E os filhos de Jacó, que cingiram nesse dia de suas armas de guerra, e eles marcharam para a batalha contra os habitantes de Gaás, e em Gaás havia um povo forte e poderoso de pessoas dos amorreus, e Gaás era a cidade mais forte e melhor fortificada de todas as cidades dos amorreus, e tinha três paredes.

16

E os filhos de Jacó vieram a Gaás e encontraram as portas da cidade bloqueadas e cerca de 500 homens em pé na parte superior da parede exterior, e a maior parte, um povo numeroso como a areia na praia do mar estavam emboscados para os filhos de Jacó de fora da cidade, na parte traseira da mesma.

17

E os filhos de Jacó aproximou-se para abrir as portas da cidade, eis que aqueles que estavam na emboscada na parte de traz da cidade saíram de seus lugares e rodearam os filhos de Jacó.

18

E os filhos de Jacó foram envolvidos entre o povo de Gaás, e a batalha estava à sua frente e atrás, e todos os homens que estavam em cima do muro, estavam lançando a partir da parede sobre eles, flechas e pedras.

19

E Judá, vendo que os homens de Gaás estavam ficando muito pesados para eles, deram o mais penetrante e tremendo grito e todos os homens de Gaás ficaram aterrorizados com a voz de grito de Judá, e os homens caíram do muro com seu grito poderoso, e todos aqueles que estavam dentro e fora da cidade ficaram com muito medo por suas vidas.

20

E os filhos de Jacó ainda chegaram perto de quebrar as portas da cidade, quando os homens de Gaás atiraram pedras e flechas sobre eles a partir do topo da parede, e os fez fugir do portão.

21

E os filhos de Jacó se voltaram contra os homens de Gaás que estavam com eles fora da cidade, e os feriram terrivelmente, como bater contra cabaças, e não puderam resistir contra os filhos de Jacó, pois o medo e terror se apoderou deles com o grito de Judá.

22

E os filhos de Jacó mataram todos os homens que estavam fora da cidade, e os filhos de Jacó ainda se aproximaram para efetuar uma entrada para a cidade, e lutarem debaixo os muros da cidade, mas eles não conseguiram, pois todos os habitantes de Gaás que permaneceram na cidade haviam cercado as paredes de Gaás em todas as direções, de modo que os filhos de Jacó não foram capazes de se aproximar da cidade para lutar.

23

E quando os filhos de Jacó se chegavam a um canto a lutar sob a parede, os habitantes de Gaás atiravam flechas e pedras sobre eles como pancadas de chuva, e eles fugiam de debaixo da parede.

24

E o povo de Gaás que estava em cima do muro, vendo que os filhos de Jacó não podiam prevalecer contra eles sob a parede, provocaram os filhos de Jacó, com estas palavras, dizendo:

25

Qual é o problema com vocês na batalha que você não conseguem prevalecer? vocês podem então fazer à poderosa cidade de Gaás e seus habitantes como vocês fizeram às outras cidades dos amorreus, que não eram tão poderosas? Certamente, contra os mais fracos entre nós, vocês fizeram essas coisas, e os mataram na entrada da cidade, pois ficaram sem força quando eles foram aterrorizados com o som de vossos gritos.

26

E agora vocês, então, são incapazes de lutar neste lugar? Certamente que aqui vocês morrerão todos, e nós iremos vingar a causa daquelas cidades que vocês fizeram em resíduos.

27

E os habitantes de Gaás muito difamaram os filhos de Jacó e injuriado-los com seus deuses, continuaram a lançar flechas e pedras sobre eles a partir da parede.

28

E Judá e seus irmãos ouviram as palavras dos habitantes de Gaás e sua raiva aumentava, e Judá estava com ciúmes de seu Deus neste assunto, e ele gritou e disse: Senhor, ajuda-nos, envia ajuda para nós e nossos irmãos.

29

E ele correu a distância com toda sua força, com a sua espada desembainhada na mão, e ele saltou do chão e pelo poder da sua força, subiu na parede, e sua espada caiu de sua mão.

30

E Judá gritou contra a parede, e todos os homens que estavam em cima do muro estavam aterrorizados, e alguns deles caíram do muro para dentro da cidade e morreram, e aqueles que ainda estavam na parede, quando viram a força de Judá, eles ficaram com muito medo por suas vidas e fugiram para dentro da cidade.

31

E alguns foram encorajados a lutar com Judá sobre o muro, e chegaram perto para matar ele quando viram que não havia espada na mão de Judá, e eles queriam expulsá-lo da parede para seus irmãos, e vinte homens da cidade vieram para ajudá-los, e eles tendo cercado Judá, todos gritaram contra ele, e se aproximaram dele com espadas desembainhadas, e aterrorizado Judá, gritou para seus irmãos da parede.

32

E Jacó e seus filhos pegou no arco sob a parede, e feriram três dos homens que estavam sobre a parte superior da parede, e Judá continuou a chorar e ele exclamou: Ó Senhor ajuda-nos, Senhor, livrai-nos, e ele gritou em alta voz contra a parede, e o grito foi ouvido a uma grande distância.

33

E após esse choro novamente ele tornou a gritar, e todos os homens que cercaram Judá sobre o topo da parede estavam aterrorizados, e cada um jogou sua espada ao som dos gritos de Judá e seu tremor, e fugiram.

34

E Judá tomou as espadas que tinham caído de suas mãos, e Judá pelejou com eles e matou 20 de seus homens sobre a parede.

35

E cerca de 80 homens e mulheres ainda subiram o muro da cidade e todos eles cercaram Judá, e o Senhor provocou o temor de Judá, em seus corações, e foram incapazes de aproximar-se dele.

36

E Jacó e todos os que estavam com ele pegaram o arco por debaixo da parede, e feriram 10 homens sobre o muro, e eles caíram abaixo da parede, diante de Jacó e seus filhos.

37

E o povo sobre a parede vendo que 20 de seus homens haviam caído, ainda correram para Judá, com as espadas desembainhadas, mas não podiam aproximar-se dele, pois estavam apavorados com a força de Judá.

38

E um dos seus homens valentes cujo nome era Arud, aproximou-se para atacar Judá na cabeça com sua espada, quando Judá apressadamente colocou seu escudo sobre sua cabeça para a proteger, e a espada bateu nele e foi dividido em dois.

39

E este homem poderoso depois de ter atingido Judá fugiu para salvar sua vida com medo de Judá, e seus pés escorregaram na parede e ele caiu entre os filhos de Jacó, que estavam em baixo da parede, e os filhos de Jacó o feriram na cabeça e o mataram.

40

E Judá estava ferido do golpe do homem poderoso, e Judá tinha quase morrera.

41

E Judá gritou contra a parede devido à dor produzida pelo golpe e quando Dan o ouviu, a sua raiva ardeu dentro dele, e ele também se levantou e tomando distância, correu e saltou do chão e escalou na parede animado com sua força e ira.

42

E quando Dan chegou ao topo do muro próximo a Judá, todos os homens que ficaram contra Judá sobre o muro fugiram, e eles foram até à segunda muralha, e eles atiraram flechas e pedras sobre Dan e Judá da segunda parede, e esforçaram-se para retirá-los da parede.

43

E as flechas e pedras atingiram Dan e Judá e quase morreram no muro, e onde quer que Dan e Judá fugissem da parede, eles eram atacados com flechas e pedras a partir da segunda parede.

44

E Jacó e seus filhos ainda estavam na entrada da cidade, em baixo da primeira parede, e eles não foram capazes de usar o arco contra os habitantes da cidade, já que não podiam ser vistos por eles, estando sobre a segunda parede.

45

E Dan e Judá, quando não podiam mais suportar as pedras e flechas que caíram sobre eles da segunda parede, ambos saltaram sobre a segunda parede perto das pessoas da cidade, e quando as pessoas da cidade que estavam sobre a segunda parede viram que Dan e Judá tinham chegado a eles sobre a segunda parede, todos eles gritaram e desceram abaixo entre as paredes.

46

E Jacó e seus filhos ouviram o barulho dos gritos do povo da cidade, e eles ainda estavam na entrada da cidade, e eles estavam ansiosos por Dan e Judá, que não mais foram vistos por eles, estando sobre a segunda parede.

47

E Naftali subiu, animado com seu poder e ira, e saltou sobre primeiro muro para ver o que causava o barulho de gritos que ouvia na cidade, e Issacar e Zebulom aproximaram-se para quebrar as portas da cidade, abriram as portas da cidade e vieram para a cidade.

48

E Naftali saltou da primeira parede para a segunda, e veio para ajudar seus irmãos, e os habitantes de Gaás que estavam em cima do muro, vendo Naftali, um terceiro que vinha para ajudar seus irmãos, todos eles fugiram e desceram para a cidade, e Jacó, e todos os seus filhos e todos os seus homens servos vieram até a cidade a eles.

49

E Judá e Dan e Naftali desceram do muro para a cidade e perseguiram os habitantes da cidade, e Simeão e Levi estavam de fora da cidade e não sabiam que o portão fora aberto, e saíram de lá para a parede e desceram aos seus irmãos na a cidade.

50

E os habitantes da cidade tinham descido para a cidade, e os filhos de Jacó chegaram se a eles de diferentes direções, e a batalha apertou contra eles de frente e por trás deles, e os filhos de Jacó os feriram terrivelmente, e mataram cerca de 20 mil deles, homens e mulheres, e nenhum deles pode levantar-se contra os filhos de Jacó.

51

E o sangue fluiu em abundância na cidade, e foi como um riacho de água, e o sangue fluiu como um riacho para a parte externa da cidade, e chegou ao deserto de Bethchorin.

52

E o povo de Bethchorin viu à distância o sangue a fluir a partir da cidade de Gaash, e cerca de 70 homens de entre eles correram para ver o sangue, e eles vieram para o lugar onde o sangue estava.

53

E eles seguiram a trilha de sangue e chegaram à parede da cidade de Gaash, e viram o fluxo de sangue da cidade, e ouviram a voz de choro dos habitantes de Gaash, pois isso subiu ao céu, e o sangue continuava a fluir abundantemente como um riacho de água.

54

E todos os filhos de Jacó, continuavam ferindo os habitantes de Gaash, e estavam envolvidos em extermine-los até à noite, cerca de 20 mil homens e mulheres, e as pessoas de Chorin disseram: Certamente este é o trabalho dos hebreus, pois eles ainda estão levando a guerra a todas as cidades dos amorreus.

55

E essas pessoas se apressaram e correram para Bethchorin, e cada um tomou suas armas de guerra, e gritaram para todos os habitantes da Bethchorin, e também de Girt, para tomarem suas armas de guerra para irem lutar com os filhos de Jacó.

56

E quando os filhos de Jacó tinha terminado de ferir os habitantes de Gaash, eles caminharam sobre a cidade, para retirar todo o morto, e chegando na parte mais interna da cidade e mais adiante, eles se encontraram com três homens muito poderosos, e não havia espada nas suas mãos.

57

E os filhos de Jacó vieram até o lugar onde eles estavam, e os homens poderosos correram deles, e um deles tomou Zebulom, pois viu que ele era um rapaz jovem e de baixa estatura, e com sua força arrastou-o pelo chão.

58

E Jacó correu para ele com sua espada e o feriu abaixo de seus lombos com a espada, e cortou-o em dois, e o corpo caiu sobre Zebulom.

59

E o segundo abordou e empurrou Jacó para o chão, e Jacó virou-se para ele e gritou e, enquanto Simeão e Levi correram e feriram-no sobre os quadris com a espada e derrubaram-o no chão.

60

E o homem poderoso se levantou do chão com ira e animado de poder, e Judá, veio sobre ele antes de ele ter ficado de pé, e atingiu-o na cabeça com a espada, e sua cabeça foi dividida e ele morreu.

61

E o terceiro homem poderoso, vendo que seus companheiros foram mortos, correu dos filhos de Jacó, e os filhos de Jacó o perseguiram na cidade, e enquanto o homem poderoso fugia ele encontrou uma das espadas dos habitantes da cidade, e ele pegou e virou-se para os filhos de Jacó e lutou contra eles com aquela espada.

62

E o homem poderoso correu para Judá, para golpeá-lo na cabeça com a espada, e não havia escudo na mão de Judá, e quando ele foi com o objetivo de atingi-lo, Naftali às pressas tomou o seu escudo e colocou-o sobre a cabeça de Judá, e a espada do homem poderoso atingiu o escudo de Naftali e Judá escapou da espada.

63

E Simeão e Levi correram sobre o homem poderoso, com suas espadas e investiram com força contra ele com as suas espadas, e as duas espadas entraram no corpo do homem poderoso e foi dividido em dois.

64

E os filhos de Jacó feriram os três homens poderosos dessa vez, juntamente com todos os habitantes de Gaás, e o dia estava prestes a cair.

65

E os filhos de Jacó percorreram Gaás e tomaram todo o despojo da cidade, até os pequenos e as mulheres que não morreram, e os filhos de Jacó fizeram a Gaás como eles tinham feito a Sarton e Shiloh.