O livro de Jasar - Capitulo 40

Os reis de Canaã, temem os filhos de Jacó e pedem paz

1

E os filhos de Jacó tomaram todo o despojo de Gaás, e saíram da cidade a noite.

2

Eles estavam marchando através da fortaleza de Bethchorin, e os habitantes de Bethchorin estavam indo para o castelo para encontrá-los, e naquela noite os filhos de Jacó lutaram com os habitantes de Bethchorin, no castelo de Bethchorin.

3

E todos os habitantes da Bethchorin eram homens poderosos, um deles não fugia diante de mil homens, e eles lutaram nessa noite no castelo, e seus gritos eram ouvidos longe naquela noite, e a terra tremeu com seus gritos.

4

E todos os filhos de Jacó, temiam esses homens, pois eles não estavam acostumados a lutar no escuro, e eles ficaram muito confundidos, e os filhos de Jacó clamaram ao Senhor, dizendo: Ajuda-nos, Senhor, livra-nos para que não morramos pelas mãos desses homens incircuncisos.

5

E o Senhor ouviu a voz dos filhos de Jacó e o Senhor causou grande terror e confusão para espantar as pessoas de Bethchorin, e lutaram entre si, uns com os outros, na escuridão da noite, e feriram-se uns aos outros em grande número.

6

E os filhos de Jacó, sabendo que o Senhor trouxe um espírito de perversidade entre aqueles homens, e que eles lutaram, cada homem com o seu próximo, saíram de entre as bandas do povo de Bethchorin e se afastaram pela descida do castelo de Bethchorin, a uma boa distância, e ficaram em segurança com seus jovens aquela noite.

7

E o povo de Bethchorin lutou toda a noite, cada homem com o seu irmão, e o outro com o seu próximo, e eles gritaram em todas as direções sobre o castelo, e seu clamor foi ouvido à distância, e toda a terra tremeu em sua voz, pois eles eram poderosos, acima de todos os povos da terra.

8

E todos os habitantes e Reis das cidades dos cananeus, os heteus, os amorreus, os heveus e todos de Canaã, e também os estavam do outro lado do Jordão, ouviram o barulho da gritaria naquela noite.

9

E eles disseram: Certamente, estas são as batalhas dos hebreus, que estão lutando contra as sete cidades, que vieram a eles, e quem pode estar contra os hebreus?

10

E todos os habitantes das cidades dos cananeus, e todos aqueles que estavam no outro lado do Jordão, tinham muito medo dos filhos de Jacó, pois disseram: Eis aqui o mesmo será a nós como foi feito a essas cidades, pois quem pode estar contra a sua poderosa força?

11

E os gritos dos Bethchorin eram muito grandes naquela noite, e continuaram a aumentar; e feriram-se uns aos outros até de manhã, e muitos deles foram mortos.

12

E a manhã apareceu, os filhos de Jacó levantaram-se de madrugada e foram até ao castelo, e feriram aqueles que restaram dos Bethchorin de uma forma terrível, e todos foram mortos no castelo.

13

E o sexto dia todos os habitantes de Canaã viram à distância todas as pessoas de Bethchorin mortas no castelo de Bethchorin, espalhadas como carcaças de cordeiros e cabritos.

14

E os filhos de Jacó levaram todo o despojo que tinham capturado a partir de Gaás e foram para Bethchorin, e encontraram a cidade cheia de pessoas como a areia do mar, e eles lutaram com elas, e os filhos de Jacó as feriram até anoitecer.

15

E os filhos de Jacó fizeram a Bethchorin como haviam feito para Gaás e Tapnach, e como haviam feito a Cházar, a Sarton e Shiloh.

16

E os filhos de Jacó levaram consigo os despojos de Bethchorin e todo o seu despojo das cidades, e nesse dia eles regressaram para casa, a Siquém.

17

E os filhos de Jacó chegaram a casa, à cidade de Siquém, e eles permaneceram na cidade e descansaram da guerra, e passaram ali a noite toda.

18

E todos os seus servos, juntamente com todo o seu despojo que haviam tomado das cidades, deixaram fora da cidade, e não entraram na cidade, pois disseram: Porventura pode haver ainda mais luta contra nós, e eles podem vir a assediar-nos em Siquém.

19

E Jacó e seus filhos e os seus homens permaneceram naquela noite e no dia seguinte na parte do campo que Jacó havia comprado de Hamor por cinco siclos, e tudo o que eles tinham capturado estava com eles.

20

E todo o montante que os filhos de Jacó haviam capturado estava na parte do campo, imensa como a areia na praia do mar.

21

E os habitantes da terra os observavam de longe, e todos os habitantes da terra estavam com medo dos filhos de Jacó, que tinham feito tal coisa que nenhum rei, desde os dias antigos, tinha feito algo semelhante.

22

E os sete reis dos cananeus resolveram fazer a paz com os filhos de Jacó, pois eles estavam com muito medo por suas vidas, por causa dos filhos de Jacó.

23

E naquele dia, sendo o sétimo dia, Jafia rei de Hebron falou secretamente ao rei de Ai, e ao rei de Gibeão, e ao rei de Salém, e ao rei de Adulam, e ao rei de Laquis, e ao rei de Cházar, e para todos os reis que estavam sob sua sujeição, dizendo:

24

Subam comigo, e vinde a mim para que possamos ir para os filhos de Jacó, e eu vou fazer paz com eles, e formar um tratado com eles, senão todas as suas terras serão destruídas pelas espadas dos filhos de Jacó, como fizeram a Siquém, e as cidades ao redor, como vocês já ouviram falar.

25

E, quando vocês vierem a mim, não venham com muitos homens, mas que cada rei traga seus três capitães das cabeças, e cada capitão traga três de seus oficiais.

26

E venham todos para Hebron, e vamos juntos aos filhos de Jacó, e suplicar-lhes que eles façam um tratado de paz com a gente.

27

E todos reis fizeram como o rei de Hebron tinha dito, pois todos eles estavam sob seu conselho e comando, e todos os reis de Canaã se juntaram para ir para aos filhos de Jacó, para fazer a paz com eles, e os filhos de Jacóvoltaram e foram para a parte do campo que estava em Siquém, pois não confiavam nos reis da terra.

28

E os filhos de Jacó voltaram e permaneceram na parte do campo durante dez dias, e ninguém veio para fazer guerra com eles.

29

E quando os filhos de Jacó viram que não havia aparência de guerra, todos eles partiram e foram para a cidade de Siquém, e os filhos de Jacó permaneceram em Siquém.

30

E ao final de 40 dias, todos os reis dos amorreus, decidiram partir de todos os seus lugares e chegaram a Hebron, a Jafia, rei de Hebron.

31

E o número de reis que vieram a Hebron, a fazer a paz com os filhos de Jacó, foi de 21 reis, e o número de capitães que vieram com eles foi 69, e seus homens eram 189, e todos esses reis e seus homens descansaram no Monte Hebron.

32

E o rei de Hebrom saiu com seus três capitães e nove homens, e estes reis resolveram ir aos filhos de Jacópara fazer a paz.

33

E disse ao rei de Hebron; Vai tu diante de nós com os teus homens, e fala por nós aos filhos de Jacó, e nós iremos depois de ti e confirmarei as tuas palavras, e o rei de Hebron assim fez.

34

E os filhos de Jacó souberam que todos os reis de Canaã se tinham reunido e descansavam em Hebron, e os filhos de Jacó enviaram quatro de seus servos como espiões, dizendo: Vão, e espiem esses reis, pesquisem e analisem os seus homens se são muitos ou poucos, e se eles são de número reduzido e voltem.

35

E os servos de Jacó foram secretamente a estes reis, e fizeram o que os filhos de Jacó lhes ordenaram, e nesse dia eles voltaram para os filhos de Jacó, e disseram-eles; Nós fomos a esses reis, e eles são poucos em número, e nós os contámos todos, e eis que são 288, reis e homens.

36

E os filhos de Jacó disseram, são poucos em número, portanto, nem todos iremos a eles, e de manhã os filhos de Jacó levantaram-se e escolheram 62 de seus homens, e10 dos filhos de Jacó foram com eles, e eles se cingiram de suas armas de guerra, porque diziam: Eles estão vindo para fazer a guerra com a gente, pois não sabiam que eles estavam vindo para fazer paz com eles.

37

E os filhos de Jacó com os seus servos foram para o portão de Siquém, para diante daqueles reis, e seu pai Jacó estava com eles.

38

E, quando chegaram diante deles, eis que o rei de Hebron e seus três capitães e nove homens com ele estavam vindo ao longo da estrada para os filhos de Jacó, e os filhos de Jacó levantaram os olhos e viram à distância Jafia, rei de Hebron, com seus capitães, vindo em direção a eles, e os filhos de Jacó mantiveram a sua posição na porta de Siquém, e não prosseguiram.

39

E o rei de Hebrom continuou a avançar, ele e seus capitães, até que chegou perto dos filhos de Jacó, e ele e seus capitães se inclinaram para eles no chão, o rei de Hebron estava sentado com seus capitães diante de Jacó.

40

E os filhos de Jacó lhe disseram: O que se abateu sobre ti, ó rei de Hebron? Por que decidiste tu vir a nós neste dia? O que queres reclamar de nós? E o rei de Hebron disse: Jacó, peço te, meu senhor, todos os reis dos cananeus querem neste dia vir fazer paz contigo.

41

E os filhos de Jacó ouviram as palavras do rei de Hebron, e eles não aceitaram a sua proposta, pois os filhos de Jacó não tinham fé nele, pois imaginavam que o rei de Hebron tinha falado enganosamente a eles.

42

E o rei de Hebrom sabia pelas palavras dos filhos de Jacó, que não acreditaram em suas palavras, e o rei de Hebron aproximou-se mais perto de Jacó, e disse-lhe: rogo-te, meu senhor, para que tenhas a certeza de que todos esses reis vieram a ti pacificamente, que atentes que eles não vêm com todos os seus homens, nem que eles trazem suas armas de guerra com eles, pois eles vieram para buscar a paz do meu senhor e seus filhos.

43

E os filhos de Jacó responderam ao rei de Hebron, dizendo: Manda a todos estes reis, se tu falas verdade para nós, que venham sozinhos diante de nós desarmados, e iremos então saber que eles buscam a paz de nós.

44

E Jafia, rei de Hebrom, enviou um dos seus homens para os reis, e todos eles vieram diante dos filhos de Jacó, e inclinaram-se para o chão, e estes reis sentaram-se diante de Jacó e seus filhos, e falaram-lhes, dizendo:

45

Ouvimos tudo o que vocês fizeram aos reis dos amorreus, com vossa espada e braço muito forte, de modo que nenhum homem pode ficar de pé diante de vocês, e nós estávamos com medo de vocês por causa de nossas vidas, para que não se abata sobre nós como aconteceu a eles.

46

Assim, nós viemos a vós para formar um tratado de paz entre nós, e agora, portanto, haja entre nós uma aliança de paz e de verdade, em que vocês não vão se meter com a gente, na medida em que nós não interferiremos com vocês.

47

E os filhos de Jacó souberam que eles tinham realmente vindo para buscar a paz com eles, e os filhos de Jacóouviram os, e fizeram uma aliança com eles.

48

E os filhos de Jacó juraram-lhes que eles não iriam se meter com eles, e todos os reis dos cananeus juraram também a eles, e os filhos de Jacó os fizeram tributários daquele dia em diante.

49

E depois disso todos os chefes destes reis vieram com seus homens diante de Jacó, com presentes em suas mãos para Jacó e seus filhos, e inclinou-se a ele para o chão.

50

E estes reis então exortaram os filhos de Jacó e pediram-lhes para devolverem todo o seu despojo que tinham capturado das sete cidades dos amorreus, e os filhos de Jacó assim fizeram, e eles devolveram tudo o que tinham capturado as mulheres, os pequeninos, o gado e todo o seu despojo que tinham tomado, e eles mandaram, e eles foram embora cada um à sua cidade.

51

E todos estes reis curvaram-se novamente para os filhos de Jacó, e eles enviaram-lhes ou trouxeram-lhes muitos presentes naqueles dias, e os filhos de Jacó despediram esses reis e os seus homens, e eles se foram pacificamente para longe deles, para suas cidades, e os filhos de Jacó também voltaram para sua casa, a Siquém.

52

E houve paz daquele dia em diante entre os filhos de Jacó e os reis dos cananeus, até que os filhos de Israel vieram a herdar a terra de Canaã.