O livro de Jasar - Capitulo 44

José é vendido a Potifar oficial de faraó

1

E os filhos de Ismael, que compraram José dos midianitas, que o tinham comprado de seus irmãos, e foram para o Egito com José, e quando chegaram ao Egito, eles se encontraram com quatro homens dos filhos de Medan, filho de Abraão, que tinha saído da terra do Egito, em sua jornada.

2

E os ismaelitas disseram-lhes: Vocês desejam comprar este escravo? E disseram: Dá-lo para nós, e eles entregaram José, e eles viram que ele era um jovem muito atraente e o compraram por 20 moedas de prata.

3

E o ismaelitas continuaram a sua viagem para o Egito e os filhos de Medan também retornaram para o Egito nesse dia, e eles disseram uns aos outros: Eis que temos ouvido que Potifar, oficial de Faraó, capitão da guarda, procura um bom servo que poderá assistir diante dele para atendê-lo, e fazê-lo mordomo da sua casa e tudo o que lhe pertence.

4

Agora, vamos vendê-lo a ele pelo preço que desejarmos, se ele for capaz de dar-nos o que exigirmos a ele.

5

E foram a casa de Potifar, e disseram-lhe: Temos ouvido dizer que tu buscas um servo bom para assistir-te, e eis que temos um servo que vai satisfazer-te, se tu poderes dar a nós o que desejamos, e iremos vendê-lo a ti.

6

E disse Potifar, Tragam diante de mim, e eu vou vê-lo, se ele me agradar darei o que vocês exigirem por ele.

7

E eles foram e trouxeram José e colocaram-o diante de Potifar, e ele viu ele, e ele lhe agradou muito, e Potifar disse-lhes: Digam-me o que vocês desejam por este jovem?

8

E eles disseram: Quatrocentas moedas de prata é o que desejamos por ele, e Potifar disse; eu as darei se vocês me trouxerem o registro de sua venda para vocês, e me contarem a sua história, pois talvez ele possa ser roubado, por que este jovem não é nem um escravo, nem o filho de um escravo, mas eu observo nele a aparência de uma pessoa agradável e bonita.

9

E eles foram e trouxeram os ismaelitas que o haviam vendido a eles, e disseram-lhe, falando: Ele é um escravo e foi vendido para eles.

10

E Potifar ouviu as palavras dos ismaelitas e deu a prata a eles, e eles tomaram a prata e foram em sua jornada, e os ismaelitas também retornaram a casa.

11

E Potifar tomou José e levou-o para sua casa para que ele pudesse servi-lo, e José achou graça aos olhos de Potifar, e ele colocou a confiança nele, e fê-lo mordomo da sua casa, e tudo o que pertencia a ele, ele entregou na sua mão.

12

E o Senhor estava com José, e ele tornou-se um homem próspero, e abençoou o Senhor a casa de Potifar por causa de José.

13

E Potifar deixou tudo o que tinha na mão de José, e José era um que decidia o que entrar e sair, e tudo era regulamentado por seu desejo na casa de Potifar.

14

E José tinha 18 anos de idade, era um jovem de belos olhos e de formosa aparência, e como ele não havia em toda a terra do Egito.

15

Naquele tempo, enquanto ele estava na casa de seu senhor, entrando e saindo da casa e assistindo seu mestre, Zelicah, esposa de seu mestre, levantou os olhos na direção de José e ela olhou para ele, e eis que ele era um jovem atraente e bem favorecido.

16

E ela cobiçou sua beleza em seu coração e sua alma se fixou em José, e ela seduziu-o dia após dia, e Zelicah seduzia José diariamente, mas José não pôde levantar os seus olhos para contemplar a mulher de seu mestre.

17

E Zelicah disse-lhe: Que boa é a tua aparência e forma, realmente eu olhei em todos os escravos, e não vi um tão bonito como tu, e disse-lhe José: Certamente Aquele que me criou no ventre de minha mãe criou toda a humanidade.

18

E ela lhe disse: Quão formosos são os teus olhos, com a qual tu deslumbras todos os habitantes do Egito, homens e mulheres, e ele disse-lhe, como eles são lindos enquanto estamos vivos, mas tu deves querer contempla-los no túmulo, certamente te afastarias deles.

19

E ela lhe disse: Como belos e agradáveis são todas as tuas palavras; toma agora, eu peço-te, a harpa, que estána casa, e toca-a com tuas mãos e vamos ouvir as tuas palavras.

20

E ele lhe disse: Como belas e agradáveis são as minhas palavras quando eu canto o louvor de meu Deus e a sua glória, e disse-lhe: Como é muito bonito o cabelo da tua cabeça, eis o pente de ouro que está na casa, tome-o, e enrola o cabelo da tua cabeça.

21

E ele disse-lhe: Até quando irás falar estas palavras? Deixa de pronunciar estas palavras para mim, e levanta-te e dedica-te aos teus assuntos domésticos.

22

E ela disse-lhe: Não há ninguém na minha casa, e não há nada para atender, a não ser às tuas palavras e desejo; ainda assim, não obstante tudo isso, ela não conseguiu atrair José a ela, nem ele colocava o olho nela, mas dirigiu seus olhos para o chão abaixo.

23

E Zelicah desejava José em seu coração, que ele se deitasse com ela, e no momento em que José estava sentado em casa fazendo seu trabalho, Zelicah veio e sentou-se diante dele, e ela seduziu-o diariamente com o seu discurso para se deitar com ele, ou sempre olhava para ele, mas José não dava ouvidos a ela.

24

E ela disse-lhe: Se tu não fizeres de acordo com as minhas palavras, vou te punir com a pena de morte, e colocar um jugo de ferro sobre ti.

25

E José disse-lhe: Certamente Deus que criou o homem livre das cadeias de prisioneiros, é ele quem me livrará da tua prisão e de teu juízo.

26

E, quando ela viu que não poderia prevalecer sobre ele, para convencê-lo, e sua alma estando ainda fixa sobre ele, seu desejo a jogou numa doença grave.

27

E todas as mulheres do Egito vieram visitá-la, e elas disseram-lhe: Por que estás neste estado de declínio? Tu que não te falta nada, certamente o teu marido é um grande príncipe e estimado à vista do rei, não deverias ter tu falta de nada do que desejasse o teu coração?

28

E Zelicah respondeu-lhes, dizendo: Neste dia deve ser dado a conhecer-vos, de onde vem este mal que me transtorna e que vocês observam em mim, e ela mandou suas empregadas a preparar alimento para todas as mulheres, e ela fez um banquete para elas, e todas as mulheres comeram em casa de Zelicah.

29

E ela deu-lhes facas para descascar as cidras para comê-las, e ela ordenou que José se vestisse com roupas caras, e que ele aparecesse diante delas, e José veio diante de seus olhos e todas as mulheres olhavam José, e não conseguiam tirar os olhos de cima dele, e todos elas cortaram suas mãos com as facas que tinham em suas mãos, e todas as cidras que estavam em suas mãos estavam cheias de sangue.

30

E elas não sabiam o que tinham feito, mas continuaram a olhar para a beleza de José.

31

E Zelicah viu o que tinha feito, e ela disse-lhes: O que é este trabalho que vocês fizeram? Eis que vos dei cidras para comer e vocês todas cortaram suas mãos.

32

E todas as mulheres viram as suas mãos, e eis que elas estavam cheias de sangue, e seu sangue escorria sobre suas vestes, e disseram-lhe, este escravo em sua casa tem nos espantado, e nós não conseguíamos tirar os olhos dele por conta de sua beleza.

33

E ela disse-lhes: Certamente isso aconteceu com vocês no momento que vocês olharam ele, e vocês não puderam conter-se dele; como então posso abster-se quando ele está constantemente em minha casa, e eu o vejo dia após dia entrando e saindo da minha casa? Como, posso evitar este declínio ou de perecer por conta disso?

34

E disseram-lhe: As palavras são verdadeiras, pois quem pode ver esta bela forma em casa e abster-se dele, e ele não é teu escravo e serviçal em tua casa, e por que tu não lhe dizes o que está em teu coração, e permanece a tua alma na morte através deste problema?

35

E ela disse-lhes: Eu estou procurando diariamente convencê-lo, e ele não concorda com meus desejos, e eu prometi-lhe tudo o que é bom, e ainda assim eu não obtive retorno dele; estou, portanto, neste estado de declínio, como vocês estão vendo.

36

E Zelicah ficou muito doente devido ao seu desejo por José, e ela ficou desesperadamente apaixonada por ele, e todas as pessoas da casa de Zelicah e seu marido não sabiam nada sobre este assunto, que Zelicah estava doente devido ao seu amor a José.

37

E todas as pessoas da casa dela perguntavam-lhe, dizendo: Por que estás doente e em declínio, não te falta nada? E ela disse-lhes: Eu não sei o que é isto que está aumentando diariamente em mim.

38

E todas as mulheres e suas amigas vinham diariamente para vê-la, e eles falaram com ela, e elas disseram-lhe: Isso só é possível por causa de seu amor à José; e disseram-lhe: Seduze-o e pega-o secretamente, talvez ele te ouça, e evite esta morte de ti.

39

Zelicah ficou pior devido seu amor a José e ela continuou a piorar, até que ela não tinha mais forças.

40

Em um determinado dia José estava fazendo o trabalho de seu mestre em casa, e Zelicah veio secretamente e de repente caiu sobre ele, e José foi contra ela, e ele foi mais forte do que ela, e ele colocou-a no chão.

41

E Zelicah chorou pelo desejo no seu coração em direção a ele, e ela suplicou à ele com lágrimas, que fluíram do seu rosto, e ela falou-lhe em voz de súplica e na amargura de alma, dizendo:

42

Já ouviste falar, viste ou conheceste uma mulher tão bonita como eu sou, ou melhor, do que eu, que fale diariamente a ti, cair em declínio devido ao amor por ti, confere toda esta honra sobre ti, e ainda tu não dás ouvido à minha voz?

43

E se for por medo de teu mestre, por que ele pode punir-te, como o rei vive nenhum dano deverá vir a ti devido à isto; Agora, por conseguinte, peço que me escutes, devolve-me a honra que te consenti, e adia esta morte de mim, e por que eu deveria morrer por tua causa? E ela deixou de falar.

44

E José respondeu a ela, dizendo: Abster-me-ei e deixe o assunto para meu mestre; Eis que meu mestre conhece tudo o que está comigo em casa, pois tudo o que pertence a ele, entregou em minha mão, e como poderei fazer essas coisas na casa de meu mestre?

45

Pois ele me tem também muito honrado em sua casa, e ele também me fez supervisor de sua casa. E ele tem me exaltado, e não há ninguém maior nesta casa do que eu, e meu mestre não absteve nada de mim, com exceção de ti que é sua esposa, como então podes tu falar essas palavras a mim, e como podes fazer este grande mal e pecado ao Senhor e ao teu marido?

46

Agora, portanto abstenha-se, e não fale mais palavras como estas, porque eu não vou ouvir as tuas palavras; Mas Zelicah não ouviu a José quando falou estas palavras para ela, mas ela diariamente seduzia-o a ouvi-la.

47

E foi depois que o rio de Mitzraim (Egito) encheu ate as margens, e todos os habitantes de Mitzraim e também o rei e príncipes saíram com tambores e danças, pois era um grande feriado em Mitzraim no momento da inundação do mar Sihor, todos foram lá para festejar o dia.

48

E quando os Mitzri (egípcios) saiam para o rio para se alegrarem, como era seu costume, todos as pessoas da casa de Potifar foram com eles, mas Zelicah não foi com eles, pois ela disse:Eu estou indisposta; e permaneceu sozinha em casa, e nenhuma outra pessoa ficou com ela na casa.

49

E ela levantou-se e foi ao templo na casa, vestiu-se em trajes principescos, e colocou em cima de sua cabeça pedras preciosas, e pedras de Ônix, incrustadas com prata e ouro, e ela embelezou seu rosto e a sua pele com todos os tipos de líquidos, e perfumou o templo e a casa com Cássia, incenso, e espalhou Mirra e aloés, depois sentou-se na entrada do templo, na passagem da casa, por onde José passaria para fazer seu trabalho, e eis que José veio do campo, e entrou na casa para fazer o trabalho de seu mestre.

50

E ele veio para o lugar que teria que passar, e viu todo o trabalho de Zelicah, e ele voltou.

51

Zelicah viu José voltar, e gritou para ele, dizendo: Aonde tu vais José? Venha para o teu trabalho e eis que eu darei espaço antes que tu chegues a meu assento.

52

E José retornou, e veio para casa, e passou dali para o lugar de sua sede, e ele sentou-se para fazer o trabalho de seu mestre, como de costume, e eis que Zelicah veio a ele e ficou diante dele com o seu vestuário principesco, e o perfume de suas roupas se espalhou à distância.

53

E ela apressou-se e pegou em José e seus vestuários, e ela lhe disse: Como o rei vive se tu não quiseres realizar meu pedido, tu irás morrer neste dia; e ela esticou para trás sua outra mão, e tirou uma espada de baixo seu vestuário, e colocou-a no pescoço de José, e disse: Sobe e realiza meu pedido e se não tu morrerás neste dia.

54

E José teve medo de fazer isto, e ele levantou-se para fugir dela, e ela segurou suas vestes, e no terror de sua fuga a roupa que Zelicah segurava foi rasgada, e José deixou a roupa na mão de Zelicah, e ele fugiu e saiu, pois ele estava com medo.

55

E quando Zelicah viu que o vestuário de José fora rasgado, e que a deixou em sua mão, e tinha fugido, ela temeu por sua vida, pois que a notícia sobre ela poderia se espalhar, e ela levantou-se e agiu com astúcia, e colocou fora o vestuário em que ela estava vestida, e ela colocou nela outras peças de roupas.

56

E ela tomou o vestuário de José, e colocou ao lado dela, e entrou e sentou-se no mesmo lugar onde ela tinha se sentado na sua doença, diante do povo de sua casa que tinha saído ao rio, e chamou um jovem rapaz que estava então na casa, e ela mandou chamar as pessoas da casa para ela.

57

E quando ela os viu, ela disse-lhes com uma voz alta e de lamentação: Vejam que o Hebreu que seu mestre, trouxe a esta casa, fez pois ele veio neste dia deitar-se comigo.

58

Pois quando vocês saíram ele veio para casa, e vendo que não havia nenhuma pessoa na casa, ele veio até mim e pegou-me, com a intenção de deitar-se comigo.

59

E segurei suas vestes e as rasguei e gritei com ele grande voz, e quando eu levantei minha voz, ele ficou com medo por sua vida, e deixou sua roupa diante de mim, e fugiu.

60

E as pessoas da casa dela não falaram nada, mas sua ira acendeu-se contra José, e foram ao seu mestre e disseram-lhe palavras de sua artimanha.

61

E Potifar voltou para casa enfurecido, e sua esposa gritou para ele, dizendo: O que é essa coisa que fizestes a mim em trazer um Hebreu servo a minha casa, pois ele veio a mim neste dia para divertir-se comigo; Assim, ele fez a mim neste dia.

62

Potifar ouviu sua esposa, e ordenou que José fosse punido com chibatadas severas, e eles o fizeram.

63

E enquanto eles estavam batendo, José gritou com grande voz, e ele levantou os seus olhos para o céu, e ele disse: Ó Senhor, tu sabes que eu sou inocente de todas estas coisas, e por que eu morrerei neste dia através da falsidade, pela mão desses incircuncisos homens maus, que tu bem conheces?

64

E enquanto os homens de Potifar estavam batendo, José continuou a gritar e chorar, e havia uma criança de onze meses de idade, e O Senhor abriu a boca da criança, e falou estas palavras diante dos homens de Potifar, que batiam em José, dizendo:

65

O que vocês querem deste homem, e por que vocês fazem este mal a ele? Minha mãe fala falsamente e mente; assim foi a coisa.

66

E a criança disse-lhes exatamente tudo o que aconteceu e todas as palavras de Zelicah para José, dia após dia, assim ele os declarou.

67

E todos os homens ouviram as palavras do seu filho, e eles questionaram muito as palavras da criança, e a criança deixou de falar e ficou muda.

68

Potifar ficou muito envergonhado com as palavras de seu filho, e mandou seus homens para não baterem mais em José, e os homens deixaram de bater em José.

69

E Potifar pegou José, e ordenou-lhe a comparecer perante a Justiça diante dos sacerdotes, que eram juízes pertencentes ao rei, para julgá-lo sobre este assunto.

70

E Potifar e José vieram diante dos sacerdotes que eram juízes do rei, e disse a eles: Decidam, peço-vos, que condenação é devida a um servo que fez o que ele fez.

71,

E os sacerdotes disseram à José: Por que tu fizeste isto ao teu mestre? E José respondeu-lhes, dizendo: Não foi bem assim meus Senhores, assim foi o assunto; e Potifar disse: José, certamente confiei em tuas mãos todos os que pertenciam a mim, e eu nada retive, menos minha esposa, e como pudeste fazer-me este mal?

72

E José respondeu dizendo: Não meu Senhor, como O Senhor vive, e como tua alma vive meu senhor, a palavra que tu ouviste de tua esposa é falsa, pois assim foi o caso neste dia.

73

Um ano foi decorrido para mim desde que eu estou em tua casa. Tu tens visto qualquer iniquidade em mim, ou qualquer coisa que possa fazer com que exija a minha vida?

74

E os sacerdotes disseram a Potifar: Enviar-nos, te pedimos, e traz diante de nós as vestes rasgadas de José e deixe-nos ver o rasgo na mesma, e se o rasgo é na frente da peça de roupa, então, seu rosto estava ao oposto dela, então ela provavelmente o segurou, para chegar a ele, e com dolo tua esposa fez tudo o que ela falou.

75

E trouxeram a roupa de José diante dos sacerdotes que eram juízes, e eles olharam, e eis que o rasgo estava na frente da roupa de José, e todos os sacerdotes souberam que ela o havia pressionado, e eles disseram: A sentença de morte não é devida a este escravo, pois ele não fez nada, mas seu julgamento é que ele seja colocado na prisão devido ao relato, que através do qual diz que ele foi contra tua esposa.

76

E Potifar ouviu suas palavras, e ele colocou-o na prisão, no lugar onde estavam confinados os prisioneiros do rei, e José ficou na casa de confinamento doze anos.

77

E não obstante isto, a esposa de seu mestre não se esqueceu dele, e ela não cessou de falar a ele dia após dia para que ouvisse a ela, e no final de três meses, Zelicah continuou indo ver José, na casa de confinamento, dia-a-dia, e ela tentou-o a ouvir e Zelicah disse à José: Quanto tempo tu permanecerás aqui? Mas ouve agora a minha voz, e eu te tirarei desta prisão.

78

E José respondeu: É melhor para mim permanecer nesta prisão do que ouvir tuas palavras, pecando contra o Senhor. E ela disse-lhe: Se tu não realizares meu desejo, eu vou arrancar fora teus olhos, adicionar grilhões a teus pés, e vou te entregar nas mãos de quem nunca conheceste antes.

79

E José respondeu a ela e disse: Eis que o Criador de toda a terra é capaz de livrar-me de tudo o que tu possas fazer a mim, pois ele abre os olhos dos cegos, e liberta os cativos, e preserva todos os estranhos que estão inquietos com a terra.

80

E quando Zelicah viu que não conseguia convencer José a ouvi-la, ela parou de seduzi-lo; e José continuou confinado na prisão. E Jacó, pai de José, e todos os seus irmãos que estavam na terra de Canaan ainda choravam e choravam naqueles dias por causa de José, e Jacob recusou-se a ser consolado por causa de José, e Jacóchorou e lamentou todos aqueles dias.