O livro de Jasar - Capitulo 48

Os sonhos de faraó

1

Naqueles dias, após a morte de Isaac, O Senhor mandou uma fome sobre toda a terra.

2

Naquele tempo o rei faraó de Mitzraim (Egipto) estava sentado no seu trono na terra de Mitzraim e deitado em sua cama, teve sonhos, e faraó viu em seu sonho que ele estava em pé ao lado do rio Mitzraim.

3

E quando estava em pé viu, eis que sete vacas gordas e bem favorecidas em gordura vieram do Rio.

4

E sete outras vacas, magras e mal favorecidas , vieram depois delas, e as sete vacas mal favorecidas engoliram aquelas bem favorecidas, e ainda assim sua aparência estava doente como no início.

5

Ele acordou, e ele dormiu novamente e ele sonhou uma segunda vez, e viu, que sete espigas de milho surgiram após num caule, grandes e boas, e sete espigas finas brotaram com o vento do leste depois delas, e as espigas finas engoliram as completas, e faraó acordou de seu sonho.

6

De manhã, o rei lembrou-se de seus sonhos, e seu espírito ficou incomodado por causa de seus sonhos, e o rei apressou-se e chamou a todos os magos e sábios de Mitzraim, e eles vieram e ficaram diante dele faraó.

7

E o rei disse-lhes: Eu tive sonhos, e não há ninguém para interpretá-los; e eles disseram a seu rei: Relate teus sonhos a teus servos e vamos ouvi-los.

8

E o rei contou seus sonhos para eles, e eles todos responderam e disseram com uma só voz para o rei: Que o rei viva para sempre; e esta é a interpretação dos teus sonhos.

9

As sete vacas boas que tu viste, mostram sete filhas que vão nascer-te nos últimos dias, e as sete vacas que viste surgirem depois delas, e engoli-las, são um sinal de que as filhas que nascerão de ti, vão morrer durante a vida útil do rei.

10

E o que tu viste no segundo sonho de sete espigas de milho completas e boas provenientes do caule, esta é sua interpretação, que tu irás construir para si mesmo nos últimos dias sete cidades em toda a terra de Mitzraim; e isso que viste das sete espigas de milho magras, surgindo depois delas e engolindo-as enquanto tu observavas com teus olhos, é um sinal de que as cidades que tu irás construir vão ser destruídas nos últimos dias, do tempo de vida do rei.

11

E quando eles falavam o rei não inclinou seu ouvido para estas palavras, nem marcou em seu coração, pois o rei sabia que não davam uma boa interpretação dos sonhos; e quando eles tinham acabado de falar diante dele, o rei respondeu-lhes, dizendo: O que são estas coisas que falaram à mim? Certamente são falsidade e mentiras; portanto agora deem a interpretação adequada dos meus sonhos, para que vocês não morram.

12

E o rei chamou novamente por outros sábios, e eles vieram e ficaram diante do rei, e foi acendida a ira do rei, e ele estava muito irritado, e o rei disse-lhes: Certamente vocês falam mentiras e falsidades absolutas em suas palavras.

13

E o rei ordenou que uma proclamação devesse ser emitida em toda a terra de Mitzraim, dizendo: Estáresolvido pelo rei e seus grandes homens, que qualquer sábio homem que conheça e entenda a interpretação dos sonhos, e não vir neste dia diante do rei, morrerá.

14

E o homem que declarar ao rei a correta interpretação dos seus sonhos lhe será dado tudo o que pedir do rei. E todos os sábios da terra vieram de Mitzraim diante do rei, juntamente com todos os magos e feiticeiros que estavam em Mitzraim e em Goshen, em Ramesés, em Tachpanches, em Zoar e em todos os lugares das fronteiras de Mitzraim e todos eles mantiveram-se diante do rei.

15

E todos os nobres e os príncipes e os atendentes pertencentes ao rei, vieram junto de todas as cidades de Mitzraim e todos eles sentaram-se diante do rei, e o rei contou o seu sonho diante dos sábios e príncipes, e todos os que se sentaram diante do rei ficaram surpreendidos com a visão.

16

E todos os sábios que estavam diante do rei dividiram-se muito em interpretação dos seus sonhos; alguns deles disseram ao rei, dizendo: As sete vacas boas seriam sete reis, da casa do rei que iriam ser levantados sobre Mitzraim.

17

E as sete vacas más seriam sete príncipes, que iriam se levantar contra eles nos últimos dias e destruí-los; e as sete espigas de milho são os sete príncipes grandes pertencentes à Mitzraim, que cairão nas mãos dos sete príncipes menos poderosos de seus inimigos, nas guerras de nosso senhor.

18

E alguns deles interpretaram ao rei dessa maneira, dizendo, são as sete vacas boas às cidades fortes de Mitzraim e as sete vacas más são as sete nações da terra dos cananeus, que virão contra sete cidades de Mitzraim nos últimos dias e destruí-las.

19

E é isso que viste o segundo sonho, de sete boas e más espigas de milho, um sinal de que o governo de Mitzraim voltará novamente à tua semente como no início.

20

E no seu reinado as pessoas das cidades de Mitzraim vão virar-se contra sete cidades de Canaã que são mais fortes do que eles são, e irão destrui-los, e o governo de Mitzraim voltará à sua semente.

21,

E alguns deles disseram o rei, que é a interpretação dos teus sonhos; as sete vacas boas são sete rainhas, quem tu tomarás como esposas nos últimos dias, e as sete vacas más indicam que as mulheres vão todas morrer durante a vida do rei.

22

E as sete espigas boas e más de milho que tu viste no segundo sonho, são quatorze crianças, e nos últimos dias eles irão se levantar e lutar entre eles mesmos, e sete deles irão derrotar os sete que são mais poderosos.

23

E alguns deles disseram estas palavras ao rei, dizendo: As sete vacas boas mostram que sete filhos nascerão à ti, e eles vão matar sete crianças das tuas crianças nos últimos dias; e as sete boas espigas de milho que tu viste no segundo sonho, são esses príncipes contra quem sete outros príncipes menos poderosos irão lutar e destruí-los nos últimos dias, e vingar a causa das tuas crianças, e o governo vai voltar novamente à sua semente.

24

E o rei ouviu todas as palavras dos sábios de Mitzraim (Egito) e suas interpretações dos seus sonhos, e nenhuma delas congratulou-se com o rei.

25

E o rei em sua sabedoria sabia que eles não falavam completamente certo em todas estas palavras, pois isto vinha do Senhor para frustrar as palavras dos sábios de Mitzraim, para que José pudesse sair da prisão e para que ele se tornasse grande em Mitzraim.

26

E o rei viu que nenhum entre todos os sábios e mágicos de Mitzraim falou corretamente com ele, e acendeu a sua ira, e sua raiva queimou dentro de si.

27

E o rei ordenou que todos os sábios e mágicos devessem sair diante dele, e todos eles saíram de diante do rei com vergonha e desgraça.

28

E o rei ordenou que uma proclamação fosse enviada ao longo de Mitzraim para matar todos os mágicos que estavam em Mitzraim e nenhum deles deveria permanecer vivo.

29

E os comandantes da guarda pertencentes ao rei levantaram-se, e cada homem tomou sua espada, e eles começaram a matar os magos de Mitzraim e os sábios.

30

E depois desta coisa, Merod, mordomo chefe do rei, veio e curvou-se diante do rei e sentou-se diante dele.

31

E o mordomo disse: Ó rei, que o rei viva para sempre, e seu governo seja exaltado na terra.

32

Tu estiveste irritado com teu servo naqueles dias, agora dois anos passados e colocaste-me no confinamento, e eu estive há algum tempo no confinamento, eu e o chefe dos padeiros.

33

E havia entre nós um servo Hebreu pertencente ao capitão da guarda, seu nome era José, seu mestre havia ficado irritado com ele e colocou-o na casa do confinamento, e ele atendeu-nos lá.

34

E em algum tempo depois quando estávamos no confinamento, sonhámos sonhos em uma noite, eu e o chefe dos padeiros; sonhamos, cada homem de acordo com a interpretação de seu sonho.

35

E nós de manhã os contamos para aquele servo, que interpretou os nossos sonhos, para cada homem de acordo com seu sonho, ele interpretou corretamente.

36

E aconteceu exactamente como interpretou para nós; não caiu por terra qualquer uma das suas palavras.

37

E agora, portanto, meu senhor e rei não mate o povo de Mitzraim por nada; Eis que esse escravo ainda se limita na casa pelo capitão da guarda de seu mestre, na casa do confinamento.

38

Se isto agradar o rei, e ele fará conhecido por ti, a interpretação correta do sonho que tu tiveste.

39

E o rei ouviu as palavras do mordomo chefe, e o rei ordenou que os sábios de Mitzraim não fossem mortos.

40

E o rei ordenou a seus servos à trazerem José diante dele, e o rei disse: Vá a ele e não aterrorize a ele para que ele não fique confuso, e não saiba falar corretamente.

41

E os servos do rei foram para José, e trouxeram-no às pressas da masmorra, e os servos do rei o barbearam, e eles mudaram sua vestimenta de prisão, e ele veio diante do rei.

42

E o rei estava sentado no seu trono real em um vestido principesco ao redor com um éfode dourado, e o ouro fino cintilava, e o carbúnculo e o rubi e a esmeralda, juntamente com todas as pedras preciosas que estavam na cabeça do rei, deslumbravam aos olhos, e José maravilhou-se muito com o rei.

43

E o trono na qual o rei sentou coberto com ouro e prata e com pedras de ônix, e ele tinha setenta degraus.

44

E costume em toda a terra de Mitzraim, que cada homem que viesse falar com o rei, se ele um príncipe ou um que era estimável diante do rei, ele subia ao trono do rei até o trigésimo primeiro passo, e o rei desceria para o trigésimo sexto passo, e falava com ele.

45

Se ele fosse uma das pessoas comuns, ele subia ao terceiro degrau, e o rei iria descia até o quarto, e falaria com ele, e seu costume era, além disso, que qualquer homem que conseguisse falar em todas as setenta línguas, ele subiria os setenta degraus e falaria antes que ele chegasse ao rei.

46

E qualquer homem que não fosse possível concluir a setenta, ele subia tantos degraus quanto as línguas que ele sabia falar.

47

E era costume naqueles dias em Mitzraim que ninguém deveria reinar sobre eles, mas apenas quem entende-se falar em setenta línguas.

48

E quando José veio diante do rei, ele curvou-se ao chão diante do rei, e ele subiu para a terceira etapa, e o rei sentou-se na quarta etapa e falou com José.

49

E o rei disse: José, eu tive um sonho, e não há nenhum interpretador para interpretá-lo corretamente, e te ordenei neste dia que todos os magos de Mitzraim e os sábios , devessem vir diante de mim, e eu contei meus sonhos para eles e ninguém pôde interpretá-los corretamente para mim.

50

E após isso este dia, ouvi no que diz respeito à ti, que tu és um homem sábio e podes interpretar corretamente cada sonho que tu ouças.

51

E José respondeu à faraó, dizendo: Que faraó conte-me os seus sonhos que tiveste, certamente as interpretações pertencem ao Criador; e o faraó contou seus sonhos a José, o sonho das vacas e o sonho das espigas de milho e o rei parou de falar.

52

E José estava revestido com o espírito do Senhor diante do rei, e ele sabia que todos as coisas que iriam acontecer o rei adiante desse dia, e sabia que a interpretação adequada do sonho do rei e ele falou diante do rei.

53

E José encontrou favor aos olhos do rei, e o rei inclinou suas orelhas e seu coração, e ele ouviu todas as palavras de José. E José disse ao rei: Não imagines que são dois sonhos, pois ele é apenas um sonho, pois o que Deus escolheu fazer em toda a terra demonstrou ao rei em seu sonho, e isso é a interpretação do teu sonho:

54

Quanto às sete vacas boas e espigas de milho são sete anos e as sete vacas más e as espigas de milho também são sete anos. É um único sonho.

55

Eis que os sete anos que estão chegando serão de uma grande abundância em toda a terra, e depois que os sete anos de fome os seguirão, uma fome muito grave; e toda a abundância será esquecida da terra, e a fome vai consumir os habitantes da terra.

56

O rei sonhou um, e o sonho repetiu-se ao faraó, a coisa é estabelecida por Deus, e Ele ás trará em breve.

57

Agora, portanto, vou te dar conselhos para livrares a tua alma, e as almas dos habitantes da terra do mal da fome, busque em todo teu reino um homem muito discreto e sábio, que conheça todos os assuntos de governo, e nomeia-o superintendente sobre a terra de Mitzraim (Egipto).

58

E deixa o homem a quem tu colocares sobre Mitzraim nomear oficiais sob ele, que eles reúnam todos os alimentos dos bons anos que estão chegando, e deixá-los tomar o milho e depositá-lo, nos teus depósitos.

59

E deixa-os manter esse alimento para os sete anos de fome, para que possam ser enfrentados por ti e o teu povo e tua terra inteira, e que tu e a tua terra não sejam atingidos pela fome.

60

Faça que todos os habitantes da terra sejam também ordenados, eles se reúnam, cada homem a produzir de seu campo, de todos os tipos de alimentos, durante os sete anos bons, e que eles coloquem-nos em seus depósitos, para que possam ser encontrados para eles nos dias da fome, e que eles possam viver sobre ela.

61

Esta é a interpretação adequada do teu sonho, e este é o conselho dado para salvar tua alma e as almas de todos os teus subalternos.

62

E o rei respondeu e disse a José: Quem diz e quem sabe se tuas palavras estão corretas? E ele disse ao rei:Isso será um sinal para respeitares todas as minhas palavras, pois que são verdadeiras, e que o meu conselho é bom para ti.

63

Eis que tua esposa está assentada neste dia com as dores do parto, e ela te dará à luz um filho, e tu irás te alegrar com ele; quando o teu filho tiver ido adiante desde o ventre de sua mãe, teu primogénito que nasceu nestes dois anos antes irá morrer, e tu serás confortado com a criança que vai nascer a ti neste dia.

64

E José terminou falando estas palavras ao rei, e ele curvou-se diante do rei e ele saiu, e quando José tinha saído da presença do rei, os sinais que José tinha falado ao rei veio aconteceram nesse dia.

65

E a Rainha deu à luz um filho nesse dia, e o rei ouviu as boas novas sobre seu filho, e ele exultou, e quando o informante tinha ido de diante da presença do rei, os agentes do rei, encontraram o filho primogénito do rei caído morto no chão.

66

E houve grande lamentação e ruído na casa do rei, e o rei ouviu-o, e Ele disse: O que é o ruído e a lamentação que ouvi na casa? E eles disseram ao rei que seu filho primogénito tinha morrido; então o rei soube que palavras de José estavam corretas, e o rei foi consolado por seu filho pela criança que nasceu-lhe nesse dia como José tinha falado.