O livro de Jasar - Capitulo 57

Os filhos de Esaú faz guerra os filhos de Jacó

1

E foi depois os filhos de Esaú travaram guerra com os filhos de Jacó, em Hebron, e Esaú ainda estava deitado morto e não enterrado.

2

A batalha foi pesada entre eles, e os filhos de Esaú foram derrotados diante dos filhos de Jacó, e os filhos de Jacó mataram uma quantidade enorme dos filhos de Esaú, oitenta homens, e não morreu nenhum do povo dos filhos de Jacó; e a mão de José prevaleceu sobre todas as pessoas dos filhos de Esaú, e ele tomou Zepho, filho de Ulifaz, o filho de Esaú e cinquenta de seus homens em cativeiro, e ele prendeu-os com correntes de ferro, e deram-lhes na mão do seu servos para trazê-los para Mitzraim (Egipto).

3

E quando os filhos de Jacó tinham aprisionado Zepho e seu povo, todos os da casa de Esaú que permaneceram, ficaram com muito medo por suas vidas, pois que eles também seriam tomados em cativeiro, e todos eles fugiram com Ulifaz, o filho de Esaú, e seu povo, com o corpo de Esaú, e eles foram na estrada para a montanha de Seir.

4

E eles reuniram-se em Seir, e eles enterraram Esaú em Seir, mas eles não tinham trazido sua cabeça com eles para Seir, pois ela foi enterrada no lugar onde a batalha ocorreu em Hebron.

5

E aconteceu que quando os filhos de Esaú tinham fugido dos filhos de Jacó, os filhos de Jacó perseguiram-nos até as fronteiras de Seir, mas eles não mataram um único homem dentre eles, pois o corpo de Esaú que eles levavam consigo aumentou sua confusão, então eles fugiram e os filhos de Jacó voltaram, e vieram para o lugar onde seus irmãos estavam em Hebron, e lá permaneceram naquele dia, e no dia seguinte até que eles descansaram da batalha.

6

E no terceiro dia, os filhos de Esaú reuniram todos os filhos de Seir, o horeu, e eles reuniram todos os filhos do Oriente, uma multidão de pessoas como a areia do mar, e foram a Mitzraim para lutar com José e seus irmãos, a fim de livrar seus irmãos.

7

E José) e todos os filhos de Jacó ouviram dizer que os filhos de Esaú e os seus filhos do Oriente vinham até eles para batalha para livrar seus irmãos.

8

José e seus irmãos e os homens fortes de Mitzraim saíram e lutaram na cidade de Ramsés, e José e seus irmãos travaram uma tremenda batalha entre os filhos de Esaú e os filhos do Oriente.

9

E eles mataram deles seiscentos mil homens, e mataram entre todos eles os valentes dos filhos de Seir, o horeu; somente alguns permaneceram, e eles mataram também muitos do filhos do Oriente e dos filhos de Esaú; e Ulifaz o filho de Esaú e os Oriente todos fugiram de diante de José e seus irmãos.

10

E José e seus irmãos perseguiram-nos até que eles chegassem à Succoth, e eles ainda mataram deles trinta homens em Succoth, e o restante fugiu, e eles fugiram cada um para sua cidade.

11

E José e seus irmãos e os valentes de Mitzraim voltaram com alegria e júbilo de coração, pois que eles tinham ferido todos os seus inimigos.

12

E Zepho, o filho de Elifaz, e seus homens, ainda eram escravos em Mitzraim dos filhos de Jacó, e aumentaram suas dores.

13

E quando os filhos de Esaú e os filhos de Seir retornaram a sua terra, os filhos de Seir viram que eles tinham todos caídos nas mãos dos filhos de Jacó e o povo de Mitzraim, por causa da batalha dos filhos de Esaú.

14

E os filhos de Seir disseram aos filhos de Esaú: Vocês já viram, e assim vocês sabem que esta campanha foi por vossa causa, e nenhum homem poderoso ou um adepto na guerra nos restou.

15

Agora, portanto, vão de nossa terra, vai de nós para a terra de Canaan, a terra de habitação de seus pais; Portanto seus filhos devem herdar os efeitos dos nossos em dias futuros?

16

E os filhos de Esaú não ouviram os filhos de Seir, e os filhos de Seir consideraram fazer a guerra com eles.

17

E os filhos de Esaú secretamente foram ao rei Angeas da África, que o mesmo é Dinhabah, dizendo:

18

Envia até nós alguns dos teus homens, e deixa-os chegar até nós, e nós vamos lutar juntamente contra os filhos de Seir, o horeu, pois que eles resolveram lutar conosco, para nos expulsar da terra.

19

E Angeas o rei de Dinhabah, assim fez, pois ele era naqueles dias, amigável aos filhos de Esaú, e Angeas enviou quinhentos valentes de infantaria para os filhos de Esaú, e oitocentos de cavalaria.

20

E os filhos de Seir foram aos filhos do Oriente, e até os filhos de Midian, dizendo: Vocês viram o que os filhos de Esaú fizeram a nós, sobre o qual fomos quase todos destruídos, em sua batalha com os filhos de Jacó.

21

Agora, portanto, vêm até nós e ajuda-nos, e nós vamos combatê-los juntos, e nós vamos expulsá-los da terra, e vingar a causa de nossos irmãos que morreram esta causa, em sua batalha com seus irmãos, os filhos de Jacó.

22

E todas os filhos do Oriente ouviram os filhos de Seir, e eles vieram-lhes em cerca de oitocentos homens com espadas desembainhadas, e os filhos de Esaú lutaram com os de Seir nesse momento no deserto de Paran.

23

E os filhos de Seir, então, prevaleceram sobre os filhos de Esaú, e os filhos de Seir mataram nesse dia dos filhos de Esaú nessa batalha, cerca de duzentos homens do povo do Rei de Angeas de Dinhabah.

24

E no segundo dia os filhos de Esaú vieram novamente para combater uma segunda vez com o filhos de Seir, e na batalha feriram os filhos de Esaú nesta segunda vez, muito devido aos filhos de Seir.

25

E quando os filhos de Esaú viram que os filhos de Seir foram mais poderosos do que eles foram, alguns homens dos filhos de Esaú viraram-se e ajudaram os filhos de Seir, seus inimigos.

26

E lá caíram ainda do povo dos filhos de Esaú na segunda batalha cinquenta e oito homens do povo do rei Angeas, de Dinhabah.

27

E no terceiro dia, os filhos de Esaú ouviram que alguns dos seus irmãos tinham virado para lutar contra eles na segunda batalha; e os filhos de Esaú choraram quando eles ouviram isto.

28

E eles disseram: O que faremos a nossos irmãos que viraram-se de nós para ajudar aos filhos de Seir nossos inimigos? E os filhos de Esaú novamente foram ao rei de Angeas de Dinhabah, dizendo:

29

Envie para nós novamente outros homens, para que com eles que possamos lutar contra os filhos de Seir, pois foram já duas vezes mais pesados do que nós fomos.

30

E Angeas novamente enviou para os filhos de Esaú cerca de seiscentos homens valentes, e eles vieram para ajudar os filhos de Esaú.

31

E dentro de dez dias, os filhos de Esaú novamente travaram guerra com os filhos de Seir no deserto de Paran, e a batalha foi muito severa sobre os filhos de Seir, e os filhos de Esaú prevaleceram neste momento sobre os filhos de Seir, e os filhos de Seir foram derrotados diante dos filhos de Esaú, e os filhos de Esaú mataram dentre eles cerca de dois mil homens.

32

E todos os homens poderosos dos filhos de Seir morreram nessa batalha, e lá permaneceram apenas seus filhos que foram deixados em suas cidades.

33

Midian e todos os filhos do Oriente fugiram da batalha, e eles deixaram os filhos de Seir, e fugiram quando viram que a batalha fora severa sobre eles, e os filhos de Esaú perseguiram todos os filhos do Oriente até que chegaram a suas terras.

34

E os filhos de Esaú mataram ainda deles cerca de duzentos e cinquenta homens, e das pessoas dos filhos de Esaú cairam cerca de trinta homens, mas este mal veio sobre eles através de seus irmãos voltando-se para ajudar os filhos de Seir, o horeu, e os filhos de Esaú novamente ouviram os maus feitos de seus irmãos e eles novamente lamentaram muito devido a isso.

35

E veio passar depois da batalha, que os filhos de Esaú voltaram, e vieram para casa em Seir, e os filhos de Esaú mataram aqueles que haviam permanecido na terra dos filhos de Seir; Eles também mataram suas esposas e as crianças, e eles não deixaram uma alma viva exceto cinquenta jovens rapazes e donzelas quem eles deixaram viver, e os filhos de Esaú não os mataram, e os rapazes se tornaram seus escravos e donzelas tomaram como esposas.

36

E os filhos de Esaú habitaram, no lugar dos filhos de Seir e eles herdaram suas terras e tomaram posse dela.

37

E os filhos de Esaú tomaram todos os pertences da terra dos filhos de Seir, também seus rebanhos, seus bois e seus bens e todos pertences dos filhos de Seir, pegaram os filhos de Esaú, e os filhos de Esaú habitaram em Seir no lugar dos filhos de Seir até este dia, e os filhos de Esaú dividiram a terra em divisões para os cinco filhos de Esaú, de acordo com suas famílias.

38

E aconteceu naqueles dias, que os filhos de Esaú resolveram coroar um rei sobre eles na terra dos quais se tornaram possuidores. E eles disseram entre si: Não é assim, pois ele reinará sobre nós em nossa terra, e estaremos sob o seu conselho, e ele deverá lutar nossas batalhas contra os nossos inimigos; E assim fizeram.

39

E todos os filhos de Esaú juraram, dizendo: Que nenhum dos seus irmãos devem reinar sobre eles, mas um homem estranho que não é de seus irmãos, pois as almas de todos os filhos de Esaú amarguraram cada homem contra seu filho, irmão e amigo, em virtude do mal por eles sustentado de seus irmãos quando eles lutaram com os filhos de Seir.

40

Por conseguinte os filhos de Esaú juraram, dizendo, que daquele dia em diante, não seria escolhido um rei de seus irmãos, mas uma de uma terra estranha, até este dia.

41

E havia lá um homem do povo de Angeas, rei de Dinhabah; seu nome era Bela, o filho de Beor, que era um homem muito valente, belo e sábio em toda sabedoria, e um homem de senso e conselho; e não havia nenhuma das pessoas de Angeas como ele.

42

E os filhos de Esaú levaram e ungiram-no, e coroaram-no como rei, e eles curvaram-se a ele, e disseram-lhe:Que viva o rei, que viva o rei!

43

E espalhou-se a notícia, e trouxeram-lhe cada homem, brincos de ouro e prata ou anéis ou braceletes, e eles fizeram dele muito rico em prata e ouro, em pedras de Ônix e obdellium, e eles fizeram um trono real, e colocaram uma coroa na sua cabeça, eles construíram um palácio para ele, e ele morava nele e ele tornou-se rei sobre todas os filhos de Esaú.

44

E o povo de Angeas retornou de sua batalha dos filhos de Esaú, e voltaram a seu mestre em Dinhabah.

45

E Bela reinou sobre os filhos de Esaú trinta anos, e os filhos de Esaú habitavam na terra em vez dos filhos de Seir, e eles habitaram com segurança em seu lugar até este dia.