O livro de Jasar - Capitulo 6

O dilúvio

1

Naquele tempo, após a morte de Matusalém, o Senhor disse a Noé: Vai tu com a tua casa para a arca, eis que se reúnem para ti todos os animais da terra, as feras do campo e as aves do céu, e todos veem a cercar a arca.

2

E tu, senta-te à porta da arca, e todos os animais, desde as feras do campo às aves do céu, devem subir e colocar-se diante de ti, e, todos entre eles, que se agacharem diante de ti, toma-os e entrega-os nas mãos dos teus filhos, para que os tragam para a arca, e tudo aquele que permanecer de pé diante de ti, irá embora.

3

E o Senhor fez isto no dia seguinte, e animais, feras, e aves vieram em grandes multidões, e cercaram a arca.

4

E Noé entrou e sentou-se ao lado da porta da arca, e de toda a carne que se agachou diante dele, ele trouxe para dentro da arca, e todos os que estavam diante dele em pé, ele deixou sobre a terra.

5

E uma leoa veio, com seus dois filhotes, macho e fêmea, e os três se agacharam diante de Noé, e os dois filhotes se levantaram contra a leoa e feriram-na, e a fizeram fugir de seu lugar, e ela foi embora, e eles voltaram para os seus lugares, e se agacharam sobre a terra diante de Noé.

6

E a leoa fugiu, e permaneceu no lugar dos leões.

7

E Noé viu isso, e se maravilhou muito, e ele levantou-se e levou os dois filhotes, e os trouxe para a arca.

8

E Noé trouxe para a arca de todas as criaturas vivas que estavam sobre a terra, de modo que não foi nenhuma faltou das que trouxe Noé na arca.

9

Dois e dois vieram a Noé na arca, mas dos animais limpos e aves limpas, ele trouxe sete casais, como Deus lhe havia ordenado.

10

E todos os animais, e as feras e aves, ainda estavam lá, e eles cercaram a arca em todos os lugares, e que a chuva não caiu até que se cumpriram sete dias.

11

E, naquele dia, o Senhor fez com que toda a terra a tremesse, o sol se escureceu, e os fundamentos do mundo se enfureceram, e toda a terra foi movida violentamente, e os relâmpagos e os trovões rugiram, e todas as fontes na terra foram divididas, como jamais tinham visto os habitantes antes, e Deus fez este ato poderoso, a fim de aterrorizar os filhos dos homens, para que não houvesse mais o mal sobre a terra.

12

E ainda assim, os filhos dos homens não se arrependeram dos seus maus caminhos, e eles aumentaram a ira do Senhor naquele tempo, e nem inclinaram seus corações para tudo isso.

13

E, ao fim de sete dias, no ano 600 da vida de Noé, as águas do dilúvio vieram sobre a terra.

14

E todas as fontes do grande abismo se romperam, e as janelas do céu foram abertas, e houve chuva sobre a terra, quarenta dias e quarenta noites.

15

E Noé e sua família, e todos os seres vivos que estavam com ele, entraram na arca, tendo em conta as águas do dilúvio, e que o Senhor a fechou por fora.

16

E todos os filhos dos homens que foram deixados sobre a terra, se cansaram no meio deste mal por conta da chuva e, pois as águas estavam subindo violentamente sobre a terra, e os animais e feras ainda estavam em torno da arca.

17

E os filhos de homens reunidos, cerca de 700 mil homens e mulheres, e vieram a Noé para a arca.

18

E chamaram a Noé, dizendo: Abre para nós possamos ir a ti na arca, deveremos nós morrer?

19

E Noé, em alta voz, respondeu-lhes da arca, dizendo: Não tendes todos vós se rebelado contra o Senhor, e disseram que ele não existia? E, portanto, o Senhor trouxe em cima de vocês este mal, para vos destruir e exterminar-vos da face da terra.

20

Não foi isso que eu falei a vocês de 120 anos atrás até hoje, e vocês não ouviram a voz do Senhor, e agora vocês desejam viver sobre a terra?

21

E disse a Noé: Estamos prontos para voltar ao Senhor, abre apenas para que possamos viver e não morrer.

22

E Noé respondeu-lhes, dizendo: Eis que agora que vocês veem o trabalho de suas almas, desejam voltar para o Senhor, e porque não retornaram durante esses cento e vinte anos, que o Senhor lhes concedeu como o período determinado?

23

Mas agora vocês veem e me dizem isso em consideração dos problemas de suas almas, pois agora também o Senhor não vai ouvir-vos, nem dará ouvidos a vocês neste dia, de modo que você prosperarão em seus desejos.

24

E os filhos dos homens aproximaram-se, a fim de entrar na arca, para entrar em conta da chuva, pois não podiam suportar a chuva sobre eles.

25

E o Senhor enviou todos os animais e as feras que estavam em volta da arca. E os animais espantaram-nos desse lugar, e cada um seguiu seu caminho e eles novamente dispersaram-se sobre a face da terra.

26

E a chuva ainda estava descendo sobre a terra, e desceu quarenta dias e quarenta noites, e as águas prevaleceram sobre a terra, e toda a carne que estava sobre a terra ou nas águas morreu, desde os homens, os animais, as feras, os répteis e as aves do céu, e restavam apenas Noé e aqueles que com ele estavam na arca.

27

E prevaleceram às águas sobre a terra, e levantaram a arca e foi elevada da terra.

28

E a arca flutuou sobre a face das águas, e foi lançada sobre as águas e todas as criaturas vivas dentro foram dela ficaram como sopa em um caldeirão.

29

E grande ansiedade tomou posse dos seres que estavam na arca, e a arca estava como para ser quebrada.

30

E todos os seres vivos que estavam na arca ficaram aterrorizados, e os leões rugiram, e os bois mugiam, e os lobos uivaram, e todos os seres vivos na arca se lamentaram em sua própria língua, de modo que suas vozes chegaram a uma grande distância, e Noé e seus filhos choraram e se lamentaram de suas aflições, pois eles estavam com muito medo de que haviam chegado às portas da morte.

31

E Noé orou ao Senhor, e clamou por conta disso, e ele disse, ó Senhor nos ajude, pois não temos força para suportar este mal que tem abrangido a nós, pois as ondas de águas cercaram-nos, correntes contrárias nos aterrorizaram, as armadilhas da morte estão diante de nós; responde-nos, ó Senhor, responde-nos, acende o teu semblante em relação a nós e tenha misericórdia de nós, e apressa-te a nos redimir e nos livrar.

32

E o Senhor ouviu a voz de Noé, e o Senhor se lembrou dele.

33

E um vento passou sobre a terra, e as águas acalmaram e repousou a arca.

34

E as fontes do abismo e as janelas do céu foram parados, e a chuva do céu foi contida.

35

E as águas diminuíram, naqueles dias, e repousou a arca sobre os montes de Ararat.

36

E Noé então abriu as janelas da arca, e Noé ainda chamou o Senhor nessa hora e disse: Senhor, que deste forma à terra e os céus, e tudo o que nela existe, tira nossas almas deste confinamento, e desta prisão onde tu nos colocas-te, pois estou muito cansado e ansioso.

37

E o Senhor ouviu a voz de Noé, e disse-lhe: Quando tiver completado um ano inteiro, tu então sairás adiante.

38

Ao fim de um ano, que Noé permaneceu na arca, as águas secaram na terra, e Noé abriu a cobertura da arca.

39

Naquele tempo, no vigésimo sétimo dia do segundo mês, a terra estava seca, mas Noé e seus filhos, e aqueles que estavam com ele, não saíram da arca até que o Senhor ordenou a eles.

40

E chegou o dia em que o Senhor lhes disse para ir para fora, e todos eles saíram da arca.

41

E eles voltaram para o seu lugar, cada um por um caminho, e Noé e seus filhos habitaram na terra que Deus lhes havia dito, e serviram ao Senhor todos os dias, e o Senhor abençoou Noé e seus filhos em sua saída da arca.

42

E lhes disse: Sede fecundos e encham a terra; tornem-se fortes e multipliquem-se abundantemente na terra.