O livro de Jasar - Capitulo 66

Faraó decretou a morte aos meninos nascidos em Israel

1

Naquele tempo morreu Hadad, filho de Bedad, rei de Edom, e Samlah de Mesrekah, do país dos filhos do Oriente, reinou em seu lugar.

2

No décimo terceiro ano do reinado do rei-faraó do Egipto, no ano cento e vinte e cinco dos Yaoshorulitas Israelitas terem ido ao Egipto, Samlah reinou sobre Edom dezoito anos.

3

E quando ele reinou, ele organizou seus exércitos para ir e lutar contra Zepho, o filho de Ulifaz e os filhos de Chittim, porque eles tinham feito guerra contra o rei Angeas da África, e eles destruíram todo o seu exército.

4,

Mas ele não foi contra ele, pois os filhos de Esaú o impediram, dizendo: Ele foi seu irmão, então Samlah ouviu a voz dos filhos de Esaú, e voltaram com toda sua força para a terra de Edom, e não continuaram para lutar contra Zepho, o filho de Ulifaz.

5

E rei-faraó do Egipto ouviu isto, dizendo: Samlah rei de Edom, resolveu lutar contra os filhos de Chittim, e depois ele virá para lutar contra o Egipto.

6

E quando os egípcios ouviram falar deste assunto, eles aumentaram o trabalho sobre os filhos de Israel, para que os israelitas não fizessem a eles como eles fizeram em sua guerra com os filhos de Esaú nos dias de Hadad.

7

Assim os egípcios disseram aos filhos de Israel: Apressem-se e façam seu trabalho e terminem sua tarefa, e reforcem a terra, pois que os filhos de Esaú vossos irmãos devem vir lutar, por vossa causa contra nós.

8

E os filhos de Israel fizeram o trabalho dos homens do Egipto dia a dia, e os egípcios afligiram os filhos de Israel para diminui-los na terra.

9

Mas quanto mais os egípcios aumentavam o trabalho sobre os filhos de Israel, assim os filhos de Israel aumentavam e se multiplicavam, e todo o Egipto foi preenchido com os filhos de Israel.

10

E no ano de cento e vinte e cinco da ida de Israel para o Egipto, os egípcios viram que seu conselho não teve êxito contra Israel, eles aumentavam e cresciam e o Egipto e a terra de Goshen foram totalmente preenchidas com os filhos de Israel.

11

Então todos os anciãos do Egipto e seus sábios vieram diante do rei, e curvaram e sentaram-se diante dele.

12

E todos os anciãos e sábios do Egipto disseram ao rei: Que o rei possa viver para sempre; Tu nos aconselhaste contra os filhos de Israel, e nós fizemos de acordo com a palavra do rei.

13

Mas proporcional ao aumento do trabalho assim eles aumentam e crescem na terra, e eis que todo o país esta preenchido com eles.

14

Agora, portanto, nosso senhor e rei, os olhos do Egipto estão diante ti para receber conselhos e tua sabedoria, em como podemos prevalecer sobre Israel para destruí-la, ou para diminui-los da terra; e o rei respondeu-lhes dizendo: Vocês deêm aconselhamento neste assunto, para que nós possamos saber o que fazer a eles.

15

E um oficial, um dos conselheiros do rei, cujo nome era Yob, da Mesopotâmia, da terra de Uz, respondeu ao rei, dizendo:

16

Se agradar ao rei, ouça o conselho de seu servo; e o rei lhe disse: Fale!

17

E falou Yob diante do rei, os príncipes e todos os sábios do Egipto, dizendo:

18

Eis que o conselho do rei dado anteriormente a respeito do trabalho para os filhos de Israel é muito bom, e vocês não devem remover o trabalho deles nunca.

19

Mas este é o aconselhamento pelo qual vocês podem diminui-los, se parecer bom para o rei a afligi-los.

20

Eis que nós temos temido guerra por um longo tempo, e dissemos: Quando Israel se tornar fecundo na terra, eles irão tirar-nos da terra se uma guerra ocorrer.

21

Se agradar ao rei, que seja feito um decreto real, a ser escrito nas leis do Egipto e não deva ser revogado, que cada criança do sexo masculino nascida dos israelitas o seu sangue deve ser derramado sobre o chão.

22

E fazendo isso, quando todas as crianças do sexo masculino de Israel tiverem morrido, o mal de suas guerras cessará; que o rei assim faça e envie para todas as parteiras Hebraicas, e ordene-as neste assunto para assim fazerem; Assim isto agradou ao rei e aos príncipes, e fez o rei de acordo com a palavra de Yob.

23

E o rei mandou as parteiras Hebraicas serem chamadas, nome de uma Shephrah, e o nome de outra Puah.

24

E as parteiras vieram diante do rei, e ficaram em sua presença.

25

E o rei disse-lhes: Ao fazer o ofício de parteira para as mulheres Hebraicas, e no parto, se for um filho, então vocês devem matá-lo, mas se ele for uma filha, então ela deve viver.

26

Mas se vocês não fizerem isto, então eu queimarei vocês e todas as suas casas com fogo.

27

Mas as parteiras temeram a Deus, e não ouviram o rei do Egipto, nem suas palavras, e quando as mulheres Hebraicas pariam, filho ou filha, então fazia a parteira tudo o que era necessário para a criança, e deixava-a viver; assim fizeram as parteiras todos os dias.

28

E esta coisa foram ditas para o rei, e ele chamou as parteiras e disse para elas: Por que vocês fizeram isto, e salvaram as crianças deixando-as vivas?

29

E as parteiras responderam e falaram juntas diante do rei, dizendo:

30

Oh rei as mulheres Hebraicas não são como as mulheres egípcias, pois todos os filhos de Israel são robustos, e antes de chegar a parteira já são nascidos, e para nós tuas servas, por muitos dias nenhuma mulher hebraica tem dado à luz diante de nós, pois todas as mulheres são suas próprias parteiras, porque elas são robustas.

31

Faraó ouviu suas palavras e acreditou nelas neste assunto, e as parteiras retiraram-se do rei, e Deus bem as tratou, e as pessoas multiplicaram-se excessivamente.