O livro de Jasar - Capitulo 73

O reino de Moisés e sua arte estratégica na guerra

1

No ano cinquenta e cinco do reinado de faraó, rei do Egipto, que é o ano cento e cinquenta e sete dos israelitas terem ido ao Egipto, reinou Moisés) em Cush.

2

Moisés tinha vinte e sete anos de idade quando começou a reinar em Cush, e quarenta anos ele reinou.

3

E Deus concedeu a Moisés graça aos olhos de todos os filhos de Cush, e os filhos de Cush amaram-no excessivamente, portanto, Moisés foi favorecido por Deus e pelos homens.

4

E no sétimo dia de seu reinado, todos os filhos de Cush reuniram-se e vieram diante de Moisés, e curvaram-se diante dele no chão.

5

E falaram os filhos na presença do rei, dizendo: Dá-nos conselhos para que vejamos o que fazer a esta cidade.

6

Pois faz agora nove anos que temos sitiado a cidade, e não temos visto mais nossos filhos e nossas esposas.

7

Assim o rei respondeu-lhes, dizendo: Se vocês ouvirem minha voz em tudo o que eu vos comandar, então Deus dará a cidade em nossas mãos e nós iremos subjugá-la.

8

Porque, se nós lutarmos com eles como na antiga batalha que tivemos com eles antes da morte de Kikianus, muitos de nós vão cair feridos como antes.

9

Agora, portanto, eis aqui está o conselho para vocês nesta assunto; Se vocês ouvirem minha voz, então a cidade será entregue em nossas mãos.

10

Então todas eles responderam ao rei, dizendo: Tudo o que nosso senhor nos mandar, isso nós faremos.

11

E Moisés disse-lhes: Vão por todo o acampamento e proclamem uma voz a todo o povo, dizendo:

12

Assim diz o rei: Vão à floresta e tragam com vocês filhotes de cegonha, cada homem um filhote em sua mão.

13

E qualquer pessoa que transgredir a palavra do rei, que não trouxer o seu filhote, ele deve morrer, e o rei irátomar os pertencentes dele.

14

E quando vocês os trouxerem deverão ficar em seus cuidados, vocês deverão cuidá-los até eles crescerem, e vocês devem ensiná-los a mergulhar em voo, como os jovens falcões.

15

Então todos os filhos de Cush ouviram as palavras de Moisés, e levantaram-se e fizeram uma proclamação a ser emitida por todo o acampamento, dizendo;

16

A vocês, todos os filhos de Cush, a ordem do rei é, que vocês vão todos juntos para a floresta, e lá peguem os filhotes de cegonha, cada homem com seu filhote em sua mão, e vocês devem trazê-los para casa.

17

E qualquer pessoa que violar a ordem do rei, o rei tomará tudo o que pertence a ele.

18

E todas as pessoas fizeram-no, e eles saíram para a floresta, e escalaram os abetos, e pegaram, cada homem um filhote em sua mão, todos os filhotes de cegonhas, e trouxeram-nos para o deserto e criaram-nos por ordem do rei, e eles os ensinaram no mergulho semelhante aos jovens falcões.

19

E depois que os filhotes de cegonhas estavam criados, o rei ordenou que eles não comessem por três dias, e todas as pessoas assim fizeram.

20

No terceiro dia, o rei disse-lhes: Esforcem-se e tornem-se homens valentes, e coloquem cada homem sua armadura e cinjam suas espadas, e monte cada homem seu cavalo, tome cada um seu filhote de cegonha na mão.

21

E vamos lutar contra a cidade, onde as serpentes estão; e todos as pessoas fizeram como o rei tinha ordenado.

22

E tomou cada homem seu filhote em sua mão, e eles foram embora e quando eles chegaram ao lugar das serpentes, o rei disse-lhes: Traga cada homem seu filhote até as serpentes.

23

E cada homem trouxe sua jovem cegonha pela ordem do rei, e as jovens cegonhas correram até às serpentes, e elas devoraram todas elas, e as destruíram naquele lugar.

24

E quando o rei e o povo tinha visto que todas as serpentes estavam destruídas naquele lugar, todas as pessoas que deram um grande grito.

25

E aproximaram-se, e eles entraram na cidade e lutaram contra a cidade, e a tomaram, e subjugaram-na.

26

E ali morreram naquele dia, mil e cem homens do povo da cidade, todos que habitavam a cidade, mas do povo do cerco, ninguém morreu.

27

Então todos os filhos de Cush foram cada um para sua casa, sua esposa e filhos e todos pertencentes a ele.

28

E Balaão, o mágico, quando ele viu que a cidade foi tomada, ele abriu a porta e ele e seus dois filhos e oito irmãos fugiram e retornaram ao Egipto para faraó, rei do Egipto.

29

Eles são os feiticeiros e mágicos que são mencionados no livro da lei, levantando-se contra Moisés quando Deus trouxe as pragas sobre o Egipto.

30

Então Moisés tomou a cidade com sua sabedoria, e os filhos de Cush colocaram-no no trono em vez de Kikianus, rei de Cush.

31

E o coroarão, e deram-lhe como esposa, Adoniah, a Rainha, a cushite, esposa de Kikianus.

32

E Moisés temeu o Deus de seus pais, então ele não entrou a ela, nem virou seus olhos para ela.

33

Pois Moisés lembrou-se como Abraão tinha feito seu servo Uliezer jurar, dizendo: Tu não levarás uma mulher das filhas de Canaã para meu filho Isaac.

34

O também que Isaac fez quando Jacó havia fugido de seu irmão, quando ele ordenou, dizendo: Tu não tomarás uma esposa das filhas de Canaã, nem farás aliança com qualquer um dos filhos de Cam.

35

Deus deu Cam, o filho de Noé, e seus filhos e todas as suas sementes, como escravos para os filhos de Shuam (Sem) e para os filhos de Yafet até sua semente depois deles como escravos, para sempre.

36

Portanto Moisés virou seu coração nem olhou para a esposa de Kikianus, nos dias que ele reinou sobre Cush.

37

E Moisés temeu Deus seu Senhor de toda a sua vida, e Moisés andou diante de Deus, em verdade, com todo seu coração e alma, ele não se desviou do caminho certo todos os dias da sua vida. Ele não se desviou do caminho nem para a direita ou para a esquerda, no qual Abraão, Isaac e Jacó tinham andado.

38

E Moisés fortaleceu-se no Reino dos filhos de Cush, e ele guiou os filhos de Cush com sua habitual sabedoria, e Moisés prosperou em seu Reino.

39

E nesse momento Aram e os filhos do Oriente ouviram que o rei Kikianus de Cush tinha morrido, então Aram e os filhos do Oriente rebelaram-se contra Cush naqueles dias.

40

E Moisés reuniu todos os filhos de Cush, um povo muito poderoso, cerca de trinta mil homens, e foram adiante para lutar com Aram e os filhos do Oriente.

41

E eles foram inicialmente para os filhos de Aram, e quando ouviram os filhos do Oriente isso foram para atingi-los, e engajar-se em batalha com eles.

42

E a guerra foi grave contra os filhos do Oriente, pois Deus entregou os filhos do Oriente nas mãos de Moisés e cerca de trezentos homens caíram mortos.

43

E todos os filhos do Oriente voltaram e retiraram-se, assim Moisés e os filhos de Cush seguiram-nos e subjugaram-nos, e colocaram um imposto sobre eles, como era seu costume.

44

Então Moisés e todas as pessoas com ele foram de lá, para a terra de Aram para a batalha.

45

E o povo de Aram também foi para encontrá-los, e eles lutaram contra eles e Deus os entregou nas mãos de Moisés, e muitos dos homens de Aram caíram feridos.

46

E Aram também foi subjugado por Moisés e o povo de Cush, e também deram os impostos habituais.

47

E Moisés entregou Aram e os filhos do Oriente sob sujeição aos filhos de Cush, e Moises e todas as pessoas que estavam com ele, voltaram para a terra de Cush.

48

E Moisés fortaleceu-se no reino dos filhos de Cush, e Deus estava com ele, e todos os filhos de Cush o temeram.