O livro de Jasar - Capitulo 76

Moises deixa Cush e vai para a terra de Midiã

1

E Moisés, o filho de Amram ainda era rei na terra de Cush, naqueles dias, e ele prosperou em seu reino, e ele conduziu o governo dos filhos de Cush em justiça e integridade.

2

E todos os filhos de Cush amaram Moisés todos os dias que reinou sobre eles, e todos os habitantes da terra de Cush tiveram muito medo dele.

3

E no quadragésimo ano do reinado de Moisés sobre Cush, Moisés estava sentado no trono real, enquanto Adoniah, a rainha, estava diante dele, e todos os nobres estavam sentados ao seu redor.

4

E Adoniah a rainha disse perante o rei e os príncipes: O que é isto, que vocês, os filhos de Cush, têm feito por todo este tempo?

5

Certamente vocês sabem que durante quarenta anos que este homem reinou sobre Cush, ele não se aproximou de mim, nem serviu os ídolos dos filhos de Cush.

6

Agora, pois, ouçam, ó filhos de Cush, e permitam que este homem não mais reine sobre vocês pois ele não é da nossa carne.

7

Eis que Menacrus, meu filho, está crescido, deixem-no reinar sobre vós, pois é melhor para vocês servirem o filho de seu senhor, do que servir um estranho, escravo do rei do Egipto.

8

E todo o povo e os nobre de Cush ouviram as palavras que Adoniah, a rainha, havia dito em seus ouvidos.

9

E todo o povo se preparou a noite, e de manhã levantaram-se cedo e fizeram Menacrus, filho de Kikianus, rei.

10

E todos os filhos de Cush estavam com medo de estender a mão contra Moisés, pois Deus estava com ele, e os filhos de Cush lembraram-se do juramento que fizeram a Moisés, portanto, eles não fizeram mal a ele.

11

Mas os filhos de Cush deram muitos presentes a Moisés, e se despediram dele em grande honra.

12

Então Moisés saiu da terra de Cush, e foi para casa e deixou de reinar sobre Cush, e Moisés tinha sessenta e seis anos de idade quando ele saiu da terra de Cush, pois isto veio de Deus, porque o período havia chegado em que Ele tinha marcado nos dias antigos, para livrar os filhos de Israel da aflição dos filhos de Cam.

13

Então, Moisés foi para Midian, pois ele estava com medo de voltar para o Egipto por causa de Faraó, e ele foi, e sentou-se em um poço de água em Midian.

14

E as sete filhas de Reuel, o midianita saíram para alimentar o rebanho de seu pai.

15

E elas vieram para o poço, e tiraram água para o rebanho de seu pai beber.

16

Então os pastores de Midian chegaram e as expulsaram-nas dali, e Moisés levantou-se, e ajudou-as a dar de beber ao rebanho.

17

E elas voltaram para casa de seu pai Reuel, e disseram-lhe o que Moisés fizera por elas.

18

E elas disseram: Um homem egípcio nos livrou das mãos dos pastores, ele tirou água para nós, e deu de beber ao rebanho.

19

E disse Reuel para suas filhas: E onde está ele? Portanto onde vocês deixaram o homem?

20

E Reuel mandou chamá-lo e buscá-lo, o levou para casa, e ele comeu pão com ele.

21

E Moisés contou a Reuel que ele havia fugido do Egipto, e que reinou quarenta anos em Cush, e que depois tomaram o governo dele, e tinham mandado ir em paz, em honra, e com presentes.

22

E quando Reuel ouviu as palavras de Moisés, Reuel disse dentro de si mesmo, vou colocar esse homem no cárcere, em que vou conciliar os filhos de Cush, pois ele fugiu deles.

23

E eles tomaram-no e colocaram-no na prisão, e Moisés ficou na prisão dez anos, e enquanto Moisés estava no cárcere, Ziporah, filha de Reuel teve piedade dele, e alimentou com pão e água o tempo todo.

24

E todos os filhos de Israel estavam ainda na terra do Egipto servindo os egípcios em todo tipo de trabalho duro, e a mão do Egipto continuou em severidade sobre os filhos de Israel naqueles dias.

25

Naquele tempo Deus feriu Faraó, rei do Egipto, e Ele o afligiu com a praga da lepra, desde a planta do pé até o alto da cabeça, e devido ao tratamento cruel aos filhos de Israel esta praga na época veio de Deus sobre Faraó.

26

Porque Deus ouviu o clamor do povo de Israel, e seu clamor chegou a ele, devido ao seu trabalho duro.

27

Ainda assim a sua ira não se desviou deles, e a mão de Faraó ainda estava estendida contra os filhos de Israel, e Faraó endureceu o pescoço diante de Deus, e ele aumentou o jugo sobre os filhos de Israel, e amargurou suas vidas com toda sorte de trabalho duro.

28

E quando e Deus afligiu a praga sobre Faraó, rei do Egipto, ele pediu a seus sábios e feiticeiros para curá-lo.

29

E seus sábios feiticeiros disseram-lhe que, se sangue de crianças fosse colocado nas feridas ele seria curado.

30

E Faraó e enviou seus ministros a Goshen, aos filhos de Israel para levar seus filhos pequenos.

31

Os ministros tomaram as crianças dos filhos de Israel do seio de suas mães à força, e levaram ao faraó, e os médicos as matavam uma criança a cada dia, e aplicavam seu sangue na praga, assim eles fizeram todos os dias.

32

E o número de crianças que Faraó matou foi trezentos e sessenta e cinco.

33

Mas Deus não atentou aos médicos do rei do Egipto, e a praga continuou aumentando poderosamente.

34

E Faraó estava já afligido por dez anos com essa praga, e ainda o coração de Faraó ficou mais endurecido contra os filhos de Israel.

35

E no final de dez anos, Deus continuou a afligir Faraó com pragas destrutivas.

36

E Deus o feriu com um tumor, e uma doença no estômago, e aquela praga virou uma grave febre.

37

Naquele tempo os dois ministros do Faraó vieram da de Goshen, onde Israel estava, e foram para a casa de Faraó, e disseram-lhe: Vimos os filhos de Israel afrouxar em seu trabalho e negligenciar suas tarefas.

38

E quando Faraó ouviu as palavras de seus ministros, a sua ira se acendeu contra os filhos de Israel excessivamente, pois ele estava muito triste em sua dor corporal.

39

E ele respondeu e disse: Agora que os filhos de Israel sabem que estou doente, eles se viram e zombam de nós, agora, portanto, em minha carruagem, me levem a Goshen e irei ver a zombaria dos filhos de Israel com as quais estão ridicularizando-me; então os seus servos arrumaram a sua carruagem para ele.

40

E o pegaram, e o fizeram montar em cima de um cavalo, pois ele não era capaz de andar por si mesmo;

41

E ele levou consigo dez cavaleiros e dez homens de pé, e foi para os filhos de Israel até Goshen.

42

E, quando chegaram à fronteira do Egipto, o cavalo do rei passou por um estreito lugar, elevado na parte aberta da vinha, cercada dos dois lados, a baixa planície estando do outro lado.

43

E os cavalos correram rapidamente naquele lugar e pressionaram um ao outro, e os outros cavalos pressionaram o cavalo do rei.

44

E o cavalo do rei caiu na planície baixa, e o rei estava andando sobre ele, e quando ele caiu a carruagem caiu sobre a face do rei e o cavalo estava sobre o rei, e o rei chorou , pois a sua carne estava muito dolorida.

45

E a carne do rei foi rasgada, e seus ossos foram quebrados, e ele não podia andar, pois isto veio de Deus a ele, pois Deus tinha ouvido os clamores de seu povo, os filhos de Israel e sua aflição.

46

E seus servos o levaram aos ombros, um pouco de cada vez, e eles o trouxeram de volta ao Egipto, e os cavaleiros que estavam com ele vieram também de volta ao Egipto.

47

E o puseram na sua cama, e o rei sabia que seu fim chegava e sua morte, por isso Aparanith, a rainha sua esposa, chegou e chorou diante do rei, e o rei chorou um grande lamento com ela.

48

E todos os seus nobres e servos vieram naquele dia, e viram o rei nessa aflição, e choraram um grande lamento com ele.

49

E os príncipes do rei e todos os seus conselheiros aconselharam o rei a fazer um reinar em seu lugar na terra, a quem ele pudesse escolher entre seus filhos.

50

E o rei tinha três filhos e duas filhas que Aparanith, a rainha sua esposa, deu à luz para ele, além dos filhos das concubinas do rei.

51

E estes são os seus nomes, Othri, o primogénito, Adikam, o segundo, e o terceiro Morion, e suas irmãs, o nome da mais velha Bathia e a outra Acuzi.

52

E Othri, o primogénito do rei, era um idiota precipitado, e apressou-se em suas palavras.

53

Mas Adikam era um homem astuto e sábio, e conhecido em toda a sabedoria do Egipto, mas de aspecto inadequado, grosso na carne, e muito pequeno em estatura, sua altura era de um côvado.

54

E quando o rei viu Adikam, seu filho, inteligente e sábio em todas as coisas, o rei resolveu que ele deveria ser rei em seu lugar após a sua morte.

55

E ele tomou como esposa Gedudah, filha de Abilot, e ela tinha dez anos, e ela deu-lhe quatro filhos.

56

E mais tarde, ele tomou três esposas e gerou, oito filhos, e três filhas.

57

E o transtorno muito prevaleceu sobre o rei, e sua carne cheirava mal como a carne de um carcaça lançada sobre o campo em tempo de verão, durante o calor do sol.

58

E quando o rei viu que sua doença tinha fortalecido-se sobre ele, ordenou que seu filho Adikam fosse levado a ele, e eles o fizeram rei sobre a terra em seu lugar.

59

E, no final de três anos, o rei morreu, em vergonha, desgraça, e desgosto, e seus servos o levaram, e o sepultaram no sepulcro dos reis do Egipto, em Zoan Mitzraim.

60

Mas eles não o embalsamaram como era habitual, com o reis, pois sua carne estava podre, e eles não puderam aproximar-se para embalsamá-lo por conta do mau cheiro, assim, o sepultaram com pressa.

61

Pois este mal veio de Deus, pois tinha-lhe pago o mal com o mal, pelo que ele havia feito a Israel.

62

E ele morreu com terror e com vergonha, e seu filho Adikam, reinou em seu lugar.