O livro de Jasar - Capitulo 81

A partida dos israelitas do Egito

1

E os filhos de Israel peregrinaram de Ramessés para Sucote, com cerca de seiscentos mil homens a pé, além dos mais pequenos e suas esposas.

2

Também uma multidão mista subiu com eles, de rebanhos e manadas e muito gado.

3

A peregrinação dos filhos de Israel, que habitavam no Egipto em trabalho duro, foi de duzentos e dez anos.

4

E no fim de duzentos e dez anos, Deus tirou os filhos de Israel do Egipto com mão forte.

5

E os filhos de Israel viajaram do Egipto e de Goshen e de Ramsés, e acamparam em Sucote no décimo quinto dia do primeiro mês.

6

E os egípcios enterraram todos os seus primogénitos a quem Deus tinha ferido, e todos os egípcios enterravam seus mortos por três dias.

7

E os filhos de Israel viajaram de Sucote e acamparam em Ethom, no final do deserto.

8

E no terceiro dia depois que os egípcios haviam enterrado seus primogénitos, muitos homens se levantaram do Egipto e foram atrás Israel para fazê-los retornar ao Egipto, porque se arrependeram de ter libertado o povo da sua servidão.

9

E um homem disse ao seu próximo: Certamente Moisés e Aaron falaram a Faraó, dizendo: Vamos a uma viagem de três dias no deserto, e oferecer sacrifícios a Deus nosso Senhor.

10

Agora, pois, vamos levantar de madrugada e fazê-los voltar, e se eles voltarem conosco para o Egipto a seus senhores, então saberemos que não há emunah (fé) neles, mas se eles não voltarem, então vamos lutar com eles, e fazê-los voltar com grande poder e mão forte.

11

E todos os nobres de Faraó levantaram-se pela manhã, e com eles cerca de setecentos mil homens, e eles saíram do Egipto, naquele dia, e vieram para o lugar onde os filhos de Israel estavam.

12

E todos os egípcios viram, e eis que Moisés e Aaron, e todos os filhos de Israel estavam sentados diante de Pi-Hairote, comendo, bebendo e comemorando a festa de Deus.

13

E todos os egípcios, disseram aos filhos de Israel: Certamente vocês disseram, vamos percorrer um caminho por três dias no deserto e sacrificaremos a nosso Senhor e retornaremos.

14

Agora, pois, hoje faz cinco dias desde que vocês foram, por que não voltam aos seus mestres?

15

E Moisés e Aaron lhes responderam, dizendo: Porquanto Deus nosso Senhor tem testemunhado em nós, dizendo: Vocês não mais voltarão para o Egipto, mas vamos para uma terra que mana leite e mel, como Deus nosso Senhor havia prometido a nossos pais para nos dar.

16

E quando os nobres do Egipto viram que os filhos de Israel não deram ouvidos a eles, para voltarem a Egipto, cingiram-se à luta com Israel.

17

E Deus fortaleceu os corações dos filhos de Israel sobre os egípcios, e lhes deram uma surra severa, e a batalha foi dura sobre os egípcios, e todos os egípcios fugiram de diante dos filhos de Israel, pois muitos deles pereceram pela mão de Israel.

18

E os nobres de Faraó voltaram para o Egipto e contaram à Faraó, dizendo: Os filhos de Israel fugiram, e não mais voltarão para o Egipto, e desta forma que Moisés e Aaron falaram a nós.

19

E Faraó soube disso, e seu coração, e os corações de todos os seus súditos, ficaram contra Israel, e se arrependeram de ter enviado Israel, e todos os egípcios aconselharam Faraó a perseguir os filhos de Israel para fazê-los voltar para suas cargas.

20

E eles disseram cada um ao seu irmão: Que é isto que fizemos, libertando Israel da nossa servidão?

21

E Deus fortaleceu os corações de todos os egípcios para perseguir os israelitas, pois Deus desejava acabar com os egípcios no Mar Vermelho.

22

E Faraó levantou-se e tomou sua carruagem, e ele ordenou que todos os egípcios a montar, nenhum homem foi deixado, exceto os pequenos e as mulheres.

23

E todos os egípcios saíram com o Faraó para perseguir os filhos de Israel, e o exército de Egipto era um exército muito grande e pesado, cerca de dez mil homens.

24

E todo este exército foi, para perseguir os filhos de Israel para trazê-los de volta para o Egipto, e os alcançaram acampados junto ao Mar Vermelho.

25

E os filhos de Israel levantaram os olhos, e viram todos os egípcios a persegui-los, e os filhos de Israel ficaram muito aterrorizados, e os filhos de Israel clamaram a Deus.

26

E por causa dos egípcios, os filhos de Israel dividiram-se em quatro divisões, e eles ficaram divididos em suas opiniões, pois eles estavam com medo dos egípcios, e Moisés falou com cada um deles.

27

A primeira divisão foi dos filhos de Reuben, Simeão e Issacar, e eles resolveram lançarem-se ao mar, pois estavam com muito medo dos egípcios.

28

E Moisés disse-lhes: Não temais, permanecei tranquilos e vede a salvação de Deus, que Ele efetuará no dia de hoje a vocês.

29

A segunda divisão foi dos filhos de Zebulom, Benyamin e Naftali, e eles resolveram voltar para Egipto com os egípcios.

30

E Moisés disse-lhes: Não temais, pois como vocês viram os egípcios neste dia, assim vocês não os verão de novo, para sempre.

31

A terceira divisão foi dos filhos de Judá e José, e eles resolveram ir encontrar os egípcios, e lutar com eles.

32

Mas Moisés disse-lhes: Fiquem onde estão, pois Deus vai lutar por vocês, e devem permanecer em silêncio.

33

E a quarta divisão era dos filhos de Levi, Gade, e Aser, e eles resolveram ir para o meio dos egípcios para confundi-los, e Moisés disse-lhes: Permaneçam onde estão e não temam, apenas clamem a Deus e ele os salvaráde suas mãos.

34

Depois disto Moisés levantou-se de entre as pessoas, e falou a Deus e disse:

35

Ó Deus, Senhor de toda a terra, agora salva teu povo que tu trouxeste do Egipto, e não deixes que os egípcios se gabem de que o poder e a força são deles.

36

Então Deus disse a Moisés: Por que choras a mim? Fala com os filhos de Israel como eles devem proceder, e estende a tua vara sobre o mar e divide-o, e os filhos de Israel devem passar por ele.

37

E Moisés assim o fez, e ele levantou a sua vara sobre o mar e dividiu-o.

38

E as águas do mar foram divididas em doze partes, e os filhos de Israel passaram completamente em pé, com sapatos, como um homem que passa por uma estrada preparada.

39

E Deus manifestou aos filhos de Israel as suas maravilhas no Egipto e no mar pelas mãos de Moisés e Aaron.

40

E quando os filhos de Israel entraram no mar, os egípcios vinham atrás deles, e as águas do mar caíram sobre eles, e todos eles afundaram na água, e nenhum homem ficou, com exceção de Faraó, que deu honra a Deus, e creu nele, por isso Deus não o levou a morrer naquele momento com os egípcios.

41

E Deus ordenou um mensageiro a levá-lo de entre os egípcios, e o mandou para a terra de Nínive, e reinou sobre ela por um longo tempo.

42

E naquele dia Deus salvou Israel da mão do Egipto, e todos os filhos de Israel viram que os egípcios tinham perecido, e viram a grande mão de deus, no que ele havia realizado em no Egipto e no mar.

43

Então cantou Moisés e os filhos de Israel este cântico a Deus, no dia em que Deus fez os egípcios a cair diante deles.

44

E todo o Israel cantou em coro, dizendo: Cantarei a Deus porque Ele é exaltado, o cavalo e o seu cavaleiro ele lançou ao mar; Eis que isto está escrito no livro da lei do Senhor.

45

Depois disso os filhos de Israel continuaram em sua jornada, e acamparam em Marah, e Deus deu aos filhos de Israel os estatutos e juízos naquele lugar em Marah, e Deus ordenou aos filhos de Israel a andar em todos os seus caminhos e a o servirem.

46

E eles viajaram de Marah e chegaram a Elim, e em Elim havia doze fontes de água e setenta tamareiras, e os israelitas acamparam junto das águas.

47

E eles viajaram de Elim e chegaram ao deserto de Sin, no décimo quinto dia do segundo mês após a sua saída do Egipto.

48

Naquele tempo Deus deu o maná para os filhos de Israel comerem, e Deus fez comida chover do céu para os filhos de Israel, dia a dia.

49

E os filhos de Israel comeram o maná durante quarenta anos, todos os dias em que eles estavam no deserto, até que chegaram à terra de Canaan, para possuí-la.

50

E passaram do deserto de Sin, e acamparam em Alush.

51

E passaram de Alush, e acamparam em Refidim.

52

E quando os filhos de Israel estavam em Refidim, Amaleque, filho de Ulifaz, filho de Esaú, o irmão de Zefo, veio para lutar com Israel.

53

E trouxe com ele oitocentos e um mil homens, mágicos e ilusionistas, e se prepararam para a batalha com Israel em Refidim.

54

E foi uma grande e severa batalha contra Israel, e Deus entregou Amaleque e seu povo, nas mãos de Moisés e os filhos de Israel, e na mão de YAOHUSHUA (Josué), filho de Nun, o homem efrainita, servo de Moisés.

55

E os filhos de Israel feriram Amaleque e ao seu povo, ao fio da espada, mas a batalha foi muito dura sobre os filhos de Israel.

56

E Deus disse a Moisés: Escreve esta coisa como um memorial para ti em um livro, e coloca-o na mão de Josué, filho de Nun, teu servo, e tu comandarás os filhos de Israel, dizendo: Quando vocês forem para terra de Canaã, deverão apagar totalmente a memória de Amaleque de debaixo do céu.

57

E Moisés assim o fez, e ele pegou o livro e escreveu sobre ele estas palavras, dizendo:

58

Lembra-te do que Amaleque fez a ti na estrada quando tu saíste do Egipto.

59

Que encontrou-te no caminho e feriu-te pela retaguarda, mesmo aqueles que foram fracos atrás de ti, quando estavas fraco e cansado.

60

Por isso será que quando Deus o teu Senhor te tiver dado descanso de todos os teus inimigos em redor, na terra que Deus teu Senhor te dá por herança, para possuí-la, e tu hás de apagar a memória de Amaleque de debaixo do céu, tu não deves te esquecer.

61

E o rei, que tiver piedade de Amaleque, ou a sua memória ou a sua semente, eis que eu exigirei dele, e eu vou cortá-lo de entre o seu povo.

62

E Moisés escreveu estas coisas em um livro, e ordenou aos filhos de Israel a respeito de todas estas questões.